Dragon ball B.T.U

O Universo não é o limite

BTU ficou Inacabado

Posted by gabrielr15 em fevereiro 16, 2014

Assim como o BTU original, essa história ficou inacabada.

O BTU original, depois de um ano e pouco parado eu retomei e terminei com uma grande glória.

O novo, infelizmente, por diversas razões foi morrendo aos poucos.

Eu não gosto de deixar algo assim inacabado. Não devem mais existir leitores esperando uma continuação, nem nada do gênero, ou seja, o pessoal já perdeu a fé nesse site.

Eu particularmente gostaria de terminar essa história, e para isso gostaria de saber se alguém ainda a lê.

Se você está lendo esse post e gostaria de ver o final que eu planejei, avise nos comentários abaixo, e garanto que terminarei a história dentro da sua glória.

Se não acontecer nada, postarei o que já tenho pronto e finalizarei a história num grande resumão do que eu havia planejado.

Um abraço,
GabrielR15

Posted in Dragon Ball BTU v2 - Avisos | Leave a Comment »

Continuação do BTU

Posted by gabrielr15 em junho 30, 2013

Posted in Dragon Ball BTU v2 - Avisos | Leave a Comment »

Episódio 122: A Traição de Seraphium

Posted by gabrielr15 em novembro 3, 2012

Nº 5 observava Pandora que olhava para todos calmamente. Seu olhar era como sempre zombeteiro, mas sua postura como um todo era calculista. Ela estava completamente perdida na emoção da batalha, a única e verdadeira batalha digna que ela tivera desde o instante em que se tornara imortal.

(Pandora) – Bem, acabaram com meu encanto.

Sua voz era controlada, não havia tom zombeteiro, apenas uma muito mal disfarçada raiva. Pandora estava irada com o fato de eles terem destruído seu poder mais incomum que a tornava singular e indestrutível mesmo quando podia morrer.

(Nº 10) – Se acabamos com o seu encanto, acredito que você está nos dizendo mesmo que inconscientemente que não pode refazer a caixa, pelo menos por enquanto.

O olhar zombeteiro foi substituído por inteiro por um olhar calculista e preocupado. Ela entregara de bandeja uma verdade que eles não precisavam saber. Eles não precisavam saber que ela não podia reaver a caixa.

A verdade é que construí-la gastava muita energia, e apesar de sua imortalidade, utilizar habilidades únicas de sua espécie mortal gastava sua energia em proporções surpreendentes e aumentava seu vazio interior. A única diferença com relação a esfera negra de Seraphium é que não lhe causava dor, mas causava cansaço físico e mental, e ela não poderia usar a caixa por várias horas.

(Nº 10) – Pandora, sejamos realistas. Já provamos que temos muito mais poder do que você pensava. Já provamos que talvez tenhamos mais poder que você e já provamos que sua tão eficaz arma na verdade é extremamente ineficaz.

Pandora se colocou em posição de combate, a provocação de Nº 10 estava surtindo efeito, ela estava se irritando e logo explodiria. Seraphium havia mostrado como os imortais tendiam a explodir seus sentimentos de uma única vez quando eram tocados em suas feridas. A ferida de Pandora era seu orgulho. Ela se achava mais forte que todos e como tal, não aceitava perder.

Apesar dos guerreiros Z ainda não saberem disso, existem mais pontos fracos nos imortais do que eles possam imaginar. Além da lâmina de Benzelder, existem seus chakras. Seus pontos fracos de verdade não são físicos, são psicológicos e sentimentais.

Mas nem mesmo os imortais sabem que essa fraqueza pode ser fatal.

(Nº 10) – Então, Pandora, como está se sentindo agora com relação a seus anfitriões?

Nº 10 estava provocando-a deliberadamente, ele sabia que era na provocação que ela cometeria uma besteira e daria uma nova vantagem aos guerreiros Z, mas ele não esperava a explosão repentina dela:

(Pandora) – SEU MORTAL INSOLENTE. ACHA QUE SÃO MAIS FORTES QUE EU? ACHAM QUE PODEM SEQUER ME MACHUCAR? DEIXE EU LHES CONTAR UM PEQUENO SEGREDO, NADA, ABSOLUTAMENTE NADA, QUANDO DIGO NADA, NADA MESMO PODE ME MACHUCAR, NADA PODE ME DETER, NADA PODE ME MATAR. POSSO TER PERDIDO MEUS FILHINHOS, MAS AINDA TENHO PODERES ILIMITADOS E POSSO DESTRUIR VOCÊS COMPLETAMENTE.

Então ela atacou.

Num instante ela estava gritando, e no instante seguinte, sua mão havia transpassado o peito de Nº 10 e segurava seu chip do outro lado.

Todos os guerreiros Z partiram para o ataque, mas não deu certo. Ela já esperava. Sua raiva apesar de tornar seu ataque previsível e sem técnica alguma, tinha tornado-a implacável. Quando os outros guerreiros chegaram, ela usou a outra mão para lançar cada um deles contra uma montanha causando danos gigantescos neles e nenhum as montanhas.

Nº 10 deu uma cabeçada com toda a força em Pandora que acabou sendo lançada para frente tirando sua mão de dentro do interior do andróide. Mas o chip continuou dentro de sua mão e ela apertou com toda a força explodindo-o.

Goku Jr. voou em direção de Niko com as senzu para trazê-lo de volta, mas Pandora o alcançou primeiro e pegou o saquinho deu sua mão e deu um golpe com força em seu rosto lançando-o contra o chão. O impacto foi ensurdecedor e deve ter causado inúmeros danos internos no garoto.

Nº 5 se reconstruiu e se lançou contra Pandora e atingiu um golpe com tanta força em sua cabeça com seu soco kamehameha que a cabeça dela rachou apesar de não ter quebrado de verdade. Isso só aumentou sua ira, e ela deu um tapa com ambas as mãos uma de cada lado da cabeça dele e explodiu-a.

(Nº 10) – Nº 5!

Mas ele mal teve tempo para qualquer outra ação. Pandora reencontrou-o e quando estava prestes a desferir-lhe o golpe final, aquele que acabaria com sua cabeça, Nº 10 puxou uma nova lâmina de Cynderon e enfiou contra a cabeça dela. A espada se chocou contra seu crânio e não causou dano algum.

Mas Pandora entrou em pânico e se afastou imediatamente dela, sem pensar direito no fato que não a feriria e nem percebeu o ataque que Nº 5 lhe deu por trás. A mão do robô dessa vez chocou-se contra seu ombro e arrancou-lhe o braço fora, à custa do braço inteiro dele.

Pandora ficou calada por um instante enquanto seu novo braço escorria para fora de seu ombro. Quando estava inteiro novamente, ela continuou parada. Estava em estado de choque. Como havia perdido um braço para criaturas tão idiotamente fracas como estas?

(Pandora) – Desgraçados, vou fazer com que paguem caro por isso. Escutem minhas palavras. C-A-R-O.

Mas ela não pode falar nada mais que isso.

Seraphium deu o bote que estava esperando desde o começo. Sua mão se chocou com tanta força contra o peito de Pandora que explodiu a ambos. Ela não teve tempo para reagir, e ele já estava atrás dele. Segurando-a pelo pescoço com o novo braço dentro do peito dela, impedindo que um novo peito se forme. Ela tenta e soltar, mas ele aperta com mais força, concentrando todo seu poder naquilo.

(Pandora) – COMO OUSA?

(Seraphium) – Agora é a minha vez irmãzinha.

E Seraphium apertou com toda a força seu pescoço e com um estrondo metálico ensurdecedor a cabeça dela separou-se de seu corpo. Seraphium segurou a cabeça contra seu próprio corpo e um corpo novo não se fez.

(Pandora) – Me solte seu…

(Seraphium) – Seu o que? Fale! Sua praga. É horrível não ser a mais forte não é?

(Pandora) – Eu sou mais forte que você, como conseguiu?

(Seraphium) – Ora, esperei. Coisa que você jamais conseguiria fazer. Esperei baixar a guarda. Esperei que se apavorasse com a espada e deixasse sua defesa aberta para meu bote. Esperei que eles tocassem em sua ferida mortal e que seu ódio a enfraquecesse. E usei suas táticas contra você mesma, esqueceu que já fez isso inúmeras vezes comigo? Arrancou meu corpo e impediu-me de refazê-lo?

(Pandora) – Mas por que?

(Seraphium) – Vingança. Não agüento mais você. Estou de saco cheio de ser seu saco de pancadas. Nunca em todos esses milênios tive uma chance como essa de me livrar de você e agora, não vou deixar ela escapar.

(Pandora) – Livrar-me de mim? Não pode me matar. Não pode. Somos imortais, nada pode nos matar!

(Seraphium) – E as lâminas de Benzelder?

(Pandora) – Só existe uma dessas e você não pode erguê-la.

(Seraphium) – Mas eles podem.

Pandora ficou em silêncio. O medo cobriu-a completamente. Mas com o medo veio força e ela lançou com golpe de ki muito forte através de si e lançou Seraphium longe. Em um instante estava inteira de novo. Mas agora tudo mudara, ela estava sozinha, de frente para todos os guerreiros Z e Seraphium. Sem aliados, apenas inimigos.

(Pandora) – Não ousaria dizer a eles como empunhá-la, eles o matariam também.

(Seraphium) – Eles não são como você. Já me pouparam uma vez. E mesmo assim, eles podem nos matar sem a espada. Eles quase conseguiram me matar.

(Pandora) – QUE BRINCADEIRA INFANTIL É ESSA? NADA PODE NOS MATAR.

(Nº 5) – Receio que você esteja enganada.

Não percam o próximo episodio de DragonBall BTU v2: “A Batalha de Imortais”

Posted in 6 - Saga dos Imortais | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 1 Comment »

Episódio 121: As Pragas de Pandora

Posted by gabrielr15 em setembro 22, 2012

Pandora estalou o pescoço e sorriu para os guerreiros Z.

(Pandora) – Desculpem-nos por nossa reuniãozinha familiar. Fazia tempo que não via meu irmãozinho emprestado e estava com muita saudade. Mas agora que matamos a saudade inicial, por ora, vamos dar atenção a nossos anfitriões.

Ela era debochada. As palavras que ela dizia, demonstravam clareza de pensamento e classe. Ela falava palavras que diziam sobre os imortais serem sua família e tratava os guerreiros Z com respeito. Mas as palavras vinham junto com um tom zombeteiro, que não deixava dúvidas. Ela não estava nem ai para Seraphium. E queria matar a todos naquele planeta.

(Nº 10) – Preparem-se.

Ele ergueu a espada e os olhos de Pandora estreitaram-se. Sua boca se abriu em surpresa e um pouco de medo brilhou no fundo de seu olhar vazio e sem vida. Era a segunda coisa que ela não entendia naqueles poucos minutos de encontro. A primeira era o fato do planeta não ter sofrido nem um arranhão com o chute de ki dela e destruído suas pernas no impacto. Ela destruíra incontáveis planetas e nunca nenhum pareceu ser resistente bastante para ela sequer prestar atenção que os planetas podiam ser mais difíceis de destruir do que rasgar uma folha de ofício ao meio.

E agora uma lâmina de Benzelder. Ela sabia que ela era perigosa a um imortal.

Seraphium observou o medo nos olhos de Pandora. Seja por vingança pessoal ou pelo prazer de ver o medo nos olhos dela, Seraphium não contou-lhe que aquela não era a espada que ela estava pensando que fosse. Não contar, dava aos guerreiros Z, uma vantagem extra pelo menos.

(Seraphium) – Eu também fiquei impressionado ao ver essa espada com eles.

Pandora não virou-se, nem olhou para Seraphium. Mantinha os olhos na espada. Estava observando tudo com atenção redobrada enquanto pensava. Após alguns instantes abriu um sorriso, que parecia de felicidade, se não fosse seu olhar zombeteiro.

(Pandora) – Realmente é uma grande honra encontrar anfitriões que não só despertaram minha atenção, como também estão tão bem preparados para nossa reunião. Realmente é uma grande honra ver que possuem uma lâmina dessas, mas vamos deixar isso de lado e focarmos no real motivo de nosso encontro?

Nº 10 se colocou em posição de combate. A espada em punho, pronta para desferir um golpe mortal contra Pandora. A espada estava rachada e nas atuais condições, N° 10 percebeu que se atacasse ela e por milagre seu poder multiplicado por três fosse maior que o dela, com certeza a espada se partiria. A não ser…

(Nº 10) – Nº 5, pegue-a. Você é quem possui o maior poder no nosso grupo, assim ela ficara mais forte com você.

Nº 5 pegou a espada que seu pai jogara e colocou-se em posição de embate. Pandora vacilou em seu sorriso. Estava calculando o tempo de ataque. Atacaria a qualquer momento, quando visse que seria mais seguro e sem riscos da espada encostar nela.

(Pandora) – Vamos ver como essa lâmina se sai contra meus poderes.

Pandora levantou a mão e algo muito estranho aconteceu.

Ao contrário de um golpe de ki, de dentro da mão da imortal saiu um pequeno casulo em formato de caixa que ficou flutuando a sua frente. Ela pegou-o e abriu.

O efeito foi imediato. De dentro da pequena caixa, saíram milhares de insetos que nenhum dos guerreiros jamais tinha visto. Uma nuvem negra e enorme se formou. Após alguns segundos, a nuvem se moveu como um todo contra N° 5 que desferiu um golpe com a espada e inúmeros insetos caíram mortos. Antes de tocar no chão, porém, eles voltaram à vida e lançaram-se conta o robô.

Nº 5 desapareceu em meio à nuvem que crescia de forma surpreendente. Inúmeros insetos caiam da massa compacta e voltavam quando se recuperavam do ataque. Um golpe de ki explodiu uma parte da massa de insetos que simplesmente desapareceu em meio ao ki em combustão.

Mas não adiantou. Os insetos restantes fecharam o buraco aberto e muito mais saiam da caixa aberta. Não precisava ser muito bom em matemática, e os guerreiros Z, em exceção dos andróides, não eram, dava para ver que em poucos minutos haveriam insetos o suficiente para criar um casulo impenetrável por ambos os lados.

Não se sabia se o casulo tinha o objetivo de prender seu inimigo ali ou se faria uma coisa mais sinistra, mas parecia meio estranho simples insetos derrotarem um robô, ou será que não?

(Pandora) – Onde está o poder de sua espada agora, mortal mecânico-orgânico?

Seraphium se afastava devagar de Pandora. Criava distância entre eles, mesmo olhando enraivecido para os guerreiros Z. Parecia estar planejando um ataque perfeito. Um bote que ninguém veria ou esperaria. Estava esperando uma brecha na guarda de Nº 10 que não tinha parado de observá-lo nem mesmo para ver o que estava acontecendo com seu filho.

O casulo estava crescendo mais e mais e os guerreiros Z tiveram que se afastar dela.

Então houve um craque metálico muito forte lá no fundo dela. Um quantidade absurda de insetos caíram rumo ao chão antes de voltaram ao ataque. Ou Nº 5 atacara, ou fora atacado com tanta força que muitos morreram por instantes.

(Niko) – Como podemos vencer disso?

(Pandora) – Vocês não podem.

(Niko) – O objetivo é nos prender dentro disso então?

(Pandora) – A não, o objetivo é muito mais sinistro que isso. Além de prender, os insetos estão atacando seu amigo e logo, logo ele perecerá frente ao poder e quantidade de meus filhinhos.

Seraphium moveu a cabeça meio milímetro para cada lado. O sinal afirmativo de que não era um blefe foi direcionado a Nº 10 que ficou confuso por um instante. Por que Seraphium estava ajudando eles?

Outro estrondo ensurdecedor de metal sendo retorcido. Um barulho abafado parecido horrivelmente com um grito.

Nº 5 estava perdendo uma batalha dentro da esfera que parecia ameaçar ficar maior que o planeta se Pandora não fechasse a maldita caixa.

A caixa.

(Niko) – Nº 10, está pensando o mesmo que eu?

(Nº 10) – Temos que fechar a caixa.

Novamente a cabeça de Seraphium se moveu um milímetro para cima e um milímetro para baixo em sinal afirmativo.

Niko se lançou diretamente contra a imortal e recebeu um soco no rosto que esfarelou seu nariz e o lançou contra a imensidão do céu, lançando-o ao espaço aberto.

(Pandora) – Ninguém vai tocar nessa caixa, jamais…

Mas o casulo explodiu. E Nº 5 saiu do centro dela com a espada toda rachada. Com um golpe certeiro rompeu a caixa e quebrou definitivamente a espada. A caixa destruída fez os insetos pararem de ser criados e os mortos não retornaram a vida.

Pandora tinha um olhar enfurecido e deu um soco com tanta força contra Nº 5 que seu corpo inteiro explodiu com o impacto, virando uma chuva de peças de metal com o chip inteiro flutuando no meio delas e pedaços esfarelados de cérebro.

Os insetos restantes, mais de 90%, se agruparam em torno da chuva de metal e os restos de Nº 5 sumiram no meio delas.

(Nº 10) – As leituras de Nº 5 acabaram. Ou não posso senti-lo dentro dessa coisa ou ele…

Quando o silêncio desagradável encheu o ar, Niko veio sabe-se lá de onde e lançou um golpe gigantesco de ki contra o casulo que desapareceu em ki em combustão.

Após o ki desaparecer, sobrou no ar, poucos pedaços de metal e um chip em que a luz piscava intermitentemente, quase como se estivesse a ponto de ficar sem bateria.

Goku Jr., encarregado no momento do saco de senzu’s, voou em direção do chip e levou uma senzu que jamais seria comido por aquilo.

Os pedaços no ar se organizaram formando um cabeça mal montada, que comeu a semente. O efeito foi estranho.

A cabeça se completou inteira. O cérebro deve ter sido reconstituído. Uma grande quantidade de corpo projetou-se para fora da cabeça. Algo em torno de um peito e um toco de braços. Ele precisou comer uma segunda senzu para que o corpo destroçado recuperasse com um todo.

(Nº 5) – Essa foi por pouco. Muito, muito pouco.



Nº 5 seria capaz de deter um novo ataque das Pragas de Pandora? Os guerreiros Z seriam capazes de lutar contra ela? Por que Seraphium deu pequenas dicas a Nº 10 se ficou do lado da irmã? Será que os nossos amigos terão mais um aliado?

Não percam o próximo episodio de DragonBall BTU v2: “A Traição de Seraphium”

Posted in 6 - Saga dos Imortais | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 2 Comments »

Episódio 120: Pandora Finalmente Chega: A Escolha de Seraphium

Posted by gabrielr15 em setembro 19, 2012

Todos olharam apavorados para o céu e até a voz de Goku emudeceu. O ki mais maligno que eles já sentiram estava se aproximando. Ele estava a mesma distância de quando o ki estranho de Master apareceu. Em poucos minutos, a origem de tamanho poder iria chegar ali e uma grande batalha seria travada.

Apesar das senzu recuperarem os guerreiros fisicamente e tirarem o cansaço físico, elas não eram capazes de anular o cansaço mental, e por mais bem e fortes fisicamente que eles podiam se sentir, eles estavam um pouco cansados mentalmente. Não era uma coisa a se preocupar agora, mas se essa batalha nova se estendesse por muito tempo, podia se tornar um problema.

Goku focou toda a sua concentração em levantar o ki do planeta Arena e levar pelo cosmos até Pandora. Ele sabia que só a encontraria depois que ela fizesse metade do caminho que faltava até ela chegar.

(Goku) – Amigos, preparem-se ela está chegando. Seraphium levante-se e me escute. Nosso tempo é curto, se quiser se juntar a nós…

(Seraphium) – CALE A BOCA! QUEM DISSE QUE EU VOU ME JUNTAR A VOCÊS, QUEM DISSE QUE SOU UMA CRIATURA MÁ QUERENDO SER BOA? VOCÊ ACHA QUE SABE DAS COISAS, MAS NA VERDADE NÃO SABE DE NADA. QUANDO VOCÊ NASCEU EU JÁ TINHA BILHÕES E BILHÕES DE ANOS DE EXPERIENCIA.

Seraphium tremia de raiva. Ele estava tomado pelo medo de morrer. O mesmo medo que o fizera se tornar imortal. O mesmo medo que lhe causara todas as desgraças de sua vida e a pior de todas as suas desgraças, a semi-vida. O medo que o fizera ser inconseqüente e aceitar a imortalidade mesmo sabendo o que ela significava.

Mas a voz estava certa em uma coisa, pensou Seraphium. Ele não gostava dos outros imortais e ele sentia o ki de Pandora se aproximando deles. Logo ele a veria cara-a-cara depois de tantos anos e ele sabia que ela seria arrogante como sempre. Má, cruel e arrogante e tornaria a vida dele um inferno de novo, como fizera quando eles estavam no poder.

O único imortal que ele gostara um pouco era Viverus, porque ele não parecia com os outros. Era reservado e não incomodava ninguém. Pandora por outro lado, mesmo sendo a segunda mais fraca, tinha um ego gigantesco e graças o lacre do ki provocava Viverus e os outros imortais.

Depois deles haviam os outros dois. O quarto imortal era inimigo mortal de Viverus. Viverus se tornara imortal para poder enfrentá-lo no mesmo nível e eu sabia que se um dia ele descobrisse uma forma de matar imortais, eles lutariam até a morte novamente.

E havia Eternus, o mais forte dos cinco e primeiro imortal. Eternus foi o primeiro a descobrir como se tornar imortal, o primeiro a desafiar as leis da vida. Eternus era diferente dos outros.

(Seraphium) – Desapareçam!

Seraphium explodiu em energia que se elevava a sua volta como o fogo sayajin. Ele então se lançou contra Nº 5 que conseguiu sair da frente no ultimo instante a atacar o imortal por trás. Mas Seraphium se esquivou e deu um soco com força na cabeça de Nº 5 explodindo ela de cima dos ombros do andróide. Mas ele não teve mais tempo para nada, pois Nº 10 deu um soco com toda a força que conseguiu reunir contra o imortal, que foi lançado alguns metros para trás. Quando conseguiu se restabelecer, Niko começou a atacar ele de frente com milhares de golpes de segundo, mas Niko foi rebatido contra uma montanha e foi a vez de Goryuki atacar, lançando golpes e golpes de ki, mas Seraphium se desviou de todo e lançou o guerreiro contra o chão com um soco.

Nº 10 atacou novamente com toda a sua força, explodindo a própria mão e arrancando o ombro e o braço do imortal fora. Quando um novo braço escorreu para fora, Nº 5 juntou ambas as mãos e deu um golpe com toda a força contra a barriga do imortal lançando ele contra a mesma montanha que Niko tinha sido lançado anteriormente e o imortal se encheu de rachaduras.

Quando as mesmas se fecharam completamente, Nº 10 lembrou-se de algo muito importante e que daria uma grande vantagem para eles. Ele retirou de dentro de si uma pequena cápsula de Cynderon. Ao ativá-la, ela se tornou uma grande espada azul que brilhava fracamente. A lâmina de Cynderon.

Ele se lançou contra o imortal que estava indo atacar Nº 5 e cortou a cabeça do imortal para fora do corpo exatamente na altura do cérebro, arrancando o tampo da cabeça e metade do cérebro do imortal fora.

A lâmina trincou no ponto onde entrara em contato com o imortal, mas os olhos de Seraphium saíram de foco por um instante, enquanto um novo tampo se formava em sua cabeça. Goku Jr. e Vegeta Jr. observavam a batalha espantados, sem terem idéia do que fazer. Goku Jr. percebeu que os primeiros pedaços de si que o imortal perderá começaram a virar cinzas. Interessante.

Seraphium se regenerou e ficou olhando espantado para a espada na mão de N° 10. Ele estava mais que apavorado, estava beirando a loucura. Ele olhava a espada como se fosse a pior das piores pragas que podiam existir.

Ela parecia horrivelmente com as lâminas de Benzelder que foram utilizadas do ritual de imortalização. Mas não podiam ser elas, ele mesmo junto com os outros cuidou para destruir todas que existiam no universo e só deixaram uma escondia, para se precisarem criar um novo imortal um dia. Ela estava escondido no planeta mais antigo que eles conheciam. Um planeta na borda do universo que girava em torno de todo ele. Na época ele ficava afastado de tudo que existia, mas agora provavelmente com o aumento do número de planetas, ele deve estar mais próximo de algum outro lugar.

Aquelas lâminas eram as únicas coisas capazes de realmente causar dano a um imortal, mas elas não podiam ser empunhadas por imortais, motivo pelo qual Viverus nunca a utilizou. Imortais até podiam pegar nessas espadas, mas elas se alimentavam da energia dos seres vivos, assim sendo, quando empunhadas por um imortal elas se tornam sem valor algum, mas empunhadas por um ser vivo, podem realmente machucar um imortal.

(Seraphium) – Que espada é essa?

(N° 10) – Essa é uma espada feita com um lâmina de Cynderon, capaz de cortar qualquer coisa desde que o poder de luta desse coisa não passe de três vezes o poder do portador da espada.

Seraphium suspirou aliviado. Aquela não era uma espada de Benzelder. Ele se colocou em posição de combate para atacar quando a voz de Goku se fez ouvir novamente.

(Goku) – Estou sentindo-a, ela não é como Seraphium. Ela é completamente má e nada vai mudar isso jamais. Preparem-se ela vai chegar em dois minutos.

O silêncio que seguiu as palavras foi pesado. Até Seraphium se virou e ficou olhando para o céu esperando a chegada de Pandora.

O medo que ele estava sentindo foi trocado por raiva e ódio. Se eles não estivessem ligados por laços de matéria escura, ele jamais teria deixado Select se mover até ela. Mas entre os imortais existia um consenso. Existia respeito até certo ponto. Eles estavam juntos nisso. Apesar dele odiar os outros e Viverus querer a todo custo a morte de Magnus, todos concordaram a dar a imortalidade a quem libertasse os cinco e não impedir que alguém fizesse isso.

Mas ir lá e libertar os outros, provavelmente nenhum daria a cara a tapa.

(N° 5) – Está na hora de fazer sua escolha Seraphium.

Seraphium ficou sem ação.

Então os poucos segundos que faltavam se forma e Pandora finalmente chegou. Ela colocou grande quantidade de força na descida para tentar fazer um efeito melodramático criando uma cratera a sua volta, mas acabou criando rachaduras em suas próprias pernas sem causar nada ao chão. Ela olhou para a superfície do planeta com estranheza. Então ela olhou para o ar e viu a todos flutuando, ela estava a uns cinqüenta metros dos combatentes em cima da montanha em que Niko e Seraphium haviam se chocado. Seraphium estava mais próximo dela que os Guerreiros Z.

(Pandora) – Seraphium que grande honra vê-lo depois de tantos milhares de séculos.

(Seraphium) – Bom dia Pandora é mesmo uma grande honra.

(Pandora) – Realmente. Estava com saudades do meu pequeno saco de pancadas indestrutível. Sabe pensei que nunca mais ia poder bater em algo que resistiria a mim. E você sabe como gosto de você. Se eu pudesse me casava com você.

Seraphium tremia de raiva. Ele não tinha cogitado realmente escolher algo até aquele momento. Mas agora ele estava tentado a escolher. Ele ficaria ao lado de Pandora e venceria desses tolos mortais, ou ficaria do lado deles e ter uma chance de dar tanta porrada nela que ela iria parar do outro lado do cosmos?

Ele estava pendendo mais para o lado de ficar com Pandora, mas o que ela fez em seguida, mudou o jogo.

Pandora desapareceu e apareceu na frente dele e deu um soco com força em seu ombro, explodindo o mesmo e criando rachaduras profundas por toda a superfície do imortal, e manteve a mão ali, impedindo do braço se repor até ele se afastar.

(Pandora) – Vamos garoto, pare com essa cara feia e sorria. Pandora está novamente com você. Poderemos vagar eternamente pelo universo juntos.

As palavras de Pandora fizeram Seraphium finalmente tomar sua decisão.

Ele se virou para os guerreiros Z e preparou-se para atacar.

Seriam os Guerreiros Z capazes de lutar contra dois imortais ao mesmo tempo? Seraphium realmente lutaria ao lado de Pandora? Será que os nossos amigos descobriram outro ponto fraco dos imortais que ficou visível agora? E a pergunta mais importante de todas, eles conseguiriam vencer os três já libertos e evitar a libertação de Magnus e Eternus, mesmo tendo apenas três desejos?

Não percam o próximo episodio de DragonBall BTU v2: “As Pragas de Pandora”

——————-

Guerreiros Z
Gorin SS7 – 70.000.000.000
Yuki SS7 – 70.000.000.000
Goku Jr. SS3 – 20.000.000.000
Vegeta Jr. SS3 – 210.000.000.000
Niko – 220.000.000.000
Piccolo – 7.000.000.000
N° 10 Ultimate – 450.000.000.000
N° 5 Ultimate – 800.000.000.000
Fusões
Goryuki SS7 – 210.000.000.000 Niko10 – ???.???.???.???.???
Niko5 – 1.150.000.000.000
Inimigos
Seraphium – 1.000.000.000.000
Pandora – ?.???.???.???.???
Viverus – ?.???.???.???.???
Select – ?.???.???.???.???

Posted in 6 - Saga dos Imortais | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

Novidades

Posted by gabrielr15 em setembro 16, 2012

Bem, a primeira novidade é o episódio “O Aviso de Goku” que está logo abaixo desse post no site.

A segunda novidade, não sei se não falei anteriormente, mas azar, é que eu pretendo fazer uma reaparição do nosso super trio, e revelar um segredo sobre o porque de Goku Jr. e Vegeta Jr. terem tanto poder em formas sayajins tão básicas.

Não sei se vai se concretizar, isso depende se houver gente interessada em ler, mas tenho mais duas Sagas pós Saga dos Imortais, e na última teremos um vilão nostálgico, que precisará da ajuda de nosso super trio para ser derrotado, mas apenas se houver gente interessada que eu escreva até lá.

Mais uma novidade, como eu comentei anteriormente tenho um outro projeto de livro que vou publicar, se alguém, estiver interessado em saber de meus outros projetos criativos, posso postar o capitulo 1 dele aqui para vocês lerem.

Enfim, por pedido de desculpas por atrasar a data de postagem duas vezes seguidas, vai ter um episódio na quarta-feira e outro no sábado essa semana. Pode ser que eu altere a data padrão para sábado ou domingo, mas se eu alterar aviso previamente.

Mas chega de conversa, confira logo abaixo o mais novo episódio de BTU.

Obrigado,
GabrielR15

Posted in Dragon Ball BTU v2 - Avisos | Leave a Comment »

Episódio 119: O Aviso de Goku

Posted by gabrielr15 em setembro 16, 2012

Ondas de energia gigantescas se desprendiam em todas as direções. O planeta só estava de em pé, graças a absorver energia das batalhas que ocorreram em cima de si e por absorver a energia liberada pela morte final de Goku quando MegaSayajin.

A esfera de ki em combustão estava em sua massa crítica. Estava quase explodindo e Seraphium mal conseguia manter sua parte. A esfera lentamente ia na direção de Seraphium, deixando o meio absoluto entre os dois guerreiros para trás em instantes.

(Seraphium) – Desgraçado. Não serei capaz de deter esse poder.

(Niko5) – Sabemos disso. Agora você vai morrer seu desgraçado.

(Seraphium) – Não posso morrer. Jamais morrerei. Sou imortal, na melhor das hipóteses posso apenas talvez desaparecer.

(Niko5) – Então você vai desaparecer para sempre.

(Seraphium) – Muito improvável. Ki em combustão não será o bastante. Já levei muitos golpes como esse e isso não vai me destruir.

(Niko5) – Sei disso, apenas vai te deixar vulnerável. Acha que teríamos entrado em uma batalha que não houvesse chances? Existe uma forma de matar imortais. Sempre existiu. E só existe uma brecha na imortalidade, em momentos muito pequenos. Sabemos como te eliminar, só precisamos dar a sorte de todos os fatores se satisfazerem no instante certo.

(Seraphium) – Acho muito duvidoso, mas vocês são incríveis. Muitos dos axiomas que eu tinha como certeza absoluta, vocês me provaram que estavam errados. Talvez eu possa mesmo desaparecer. Vou lutar com todas as minhas forças para viver, mas se esse for o meu fim, tudo o que posso dizer é que foi uma imensa honra sobreviver todo esse tempo e poder enfrentar vocês.

(Niko5) – Obrigado. ADEUS!!!

Então Niko5 colocou toda a força que ainda tinha na esfera e os outros o ajudaram lançando suas próprias energias contra a esfera.

Então ela explodiu lançando toda a energia contra Seraphium que fechou os olhos e sumiu em meio a energia em combustão.

O planeta tremeu. Seraphium ficou no meio da grande esfera que explodia e se re-energizava. Ondas de energia se expandiam em todas as direções e aconteciam inúmeras explosões de força.

(Niko5) – A esfera não será capaz de destruir ele por si só. Desculpem-me amigos, mas terei de fazer algo mais. Talvez eu morra, vou ver se é possível dividir o corpo do chip e se refazer sem o corpo. Se não der certo, adeus amigos.

Niko e Nº 5 se separaram e Nº5 arrancou o próprio chip e entregou a Niko, junto com seu braço esquerdo e uma parte do miolo de sua barriga.

Então ele foi com tudo contra o ki em combustão. Seu corpo quase que se desfez por completo até chegar ao centro, mas ele utilizou toda a sua força e deu o soco final contra o cérebro de Seraphium que junto com seu sistema nervoso era a única coisa que estava presente no meio do ki em combustão, apenas os nervos e o cérebro.

O cérebro explodiu no instante que a maior parte de Nº 5 desapareceu.

Dai-Kaioshin soube que aquele era o momento e então olhou para o deus dragão.

(Dai-Kaioshin) – Eu desejo que Seraphium torne-se mortal, ou que ele seja transportado para o outro mundo, o que for mais viável para você…

(Goku) – NÃO! ESPERE!

Dai-Kaioshin parou o pedido quase ao completá-lo e o dragão ficou observando-o esperando para saber se deveria ou não realizar o desejo.

(Dai-Kaioshin) – Mas Goku por quê?

Mas o instante se veio e se foi. O cérebro de Seraphium se refez em meio ao ki em combustão e lentamente, muito lentamente matéria óssea e muscular começou a se formar em torno dos nervos.

O chip de Nº5 e os pedaços dados para Niko se uniram e formaram uma versão miniaturizada do andróide.

(Niko) – Será que acabou?

(Nº 5) – Não sei, me traga uma senzu rápido.

Os guerreiros todos se agruparam e deram uma senzu ao andróide que comeu após se remodelar de uma forma que parecia sua forma humanóide original com quase todo o corpo faltando, e sem pernas.

Quando ele engoliu a senzu, a matéria orgânica de seu corpo se reformulou e sua cabeça se refez junto com seu cérebro. Seu corpo como um todo se refez, uma vez que ele era um andróide orgânico além de metálico. As partes que faltaram foram supridos por remontagens da parte geral que diminuiu um pouco o tamanho do robô.

Todos então se viraram para a esfera que ainda explodia e souberam que se ela explodia em torno de si, havia algo dentro dela.

(Niko) – Será que o desejo não foi feito a tempo?

(Nº 10) – Ou talvez fizemos algo errado, ou Master estava incorreto.

(Nº 5) – Não. Fizemos tudo certo. Master é a maior força que existe entre as dimensões conhecidas. Ele sabe das coisas e está certo. O desejo não foi feito a tempo. O problema é que o instante é curto. Apesar de ter sido bem amplo no meio desse ki em combustão, talvez o dragão se demorou um pouco.

Então a esfera explodiu finalmente em todas as direções. Nº 5 ergueu o braço e dispersou a energia que ia de encontro aos guerreiros.

Seraphium caiu do ar e se chocou com o chão, onde ficou sentado apenas respirando apavorado com o que houve.

Ele soube que quase desaparecerá. Soube que não tinha sido nada por mais tempo que todas as outras vezes que quebraram a cabeça dele e soube que nunca antes esteve tão vulnerável.

Ele ergueu os olhos e olhou para os guerreiros que quase o derrotaram com grande temor.

(Nº 5) – Vamos fazer de novo.

(Niko) – Ele não vai deixar irmos tão longe. Preparem-se para enfrentar a esfera negra…

(Goku) – AMIGOS PAREM! Eu estou falando por intermédio do Sr. Kaioh. Seraphium é mal por natureza, mas sua alma, ou o que restou dela ainda está lá dentro, sobre a aura maligna dele. Apesar de ser mal por natureza, ele quer ser bom. Proponham uma trégua, ele quer tanto quanto vocês que os outros imortais desapareçam,e pode ajudá-los a enfrentar Pandora que está quase chegando.

Mal Goku falou isso e um ki hediondo pode ser sentido pelos guerreiros. Pandora estava quase chegando.



Não percam o próximo episodio de DragonBall BTU v2: “Pandora Finalmente Chega: A Escolha de Seraphium”

——————-

Guerreiros Z
Gorin SS7 – 70.000.000.000
Yuki SS7 – 70.000.000.000
Goku Jr. SS3 – 20.000.000.000
Vegeta Jr. SS3 – 210.000.000.000
Niko – 220.000.000.000
Piccolo – 7.000.000.000
N° 10 Ultimate – 450.000.000.000
N° 5 Ultimate – 800.000.000.000
Fusões
Goryuki SS7 – ???.???.???.??? Niko10 – ???.???.???.???.???
Niko5 – 1.150.000.000.000
Inimigos
Seraphium – 1.000.000.000.000
Pandora – ?.???.???.???.???
Viverus – ?.???.???.???.???
Select – ?.???.???.???.???

Posted in 6 - Saga dos Imortais | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

Episódio 118: O Grande retorno da Esfera Azul. Será o fim de Seraphium?

Posted by gabrielr15 em setembro 8, 2012

Pandora atravessava a imensidão sem fim que separa as poucas coisas que existem no Universo. Ela era extremamente rápida, atravessando galáxias e galáxias em questão de segundos. Seu alvo era um planeta chamado Terra que deveria estar em algum lugar a sua frente.

Pandora sempre fora extremamente impulsiva e confiante. Nada jamais a assustara e poucas coisas a inquietaram. E havia algo inquietando ela. O garoto.

Ela já tinha perdido as esperanças de sair daquele casulo desgraçado. Ela já tinha aceitado que ficaria naquele casulo até o fim dos tempos. Então apareceu aquele garoto. Select, não só destruiu o casulo que a aprisionara por tantos bilhões de anos, mas mostrou-se ser mais forte que ela e que Seraphium.

E disse que Seraphium estava em uma briga na qual não poderia jamais vencer. “Um saco de pancadas indestrutível” ele dissera. Ela estava sedenta por sangue e tinha aquele vazio gigantesco dentro de si.

Nota do autor: Seraphium e Viverus liberaram uma boa parte do vazio matando Select, já Pandora não fez nada contra ele, ou seja, está com um vazio bem maior do que o de Seraphium. Seraphium se aliviou matando Select e Nº 5.

Ela se dirigia aquele planeta para matar os seres tão fortes que estavam detonando com Seraphium. E alem do mais, ela era uma lutadora implacável. Ela simplesmente matava todos que rivalizavam os poderes com ela, ou qualquer um que atravessasse seu caminho.

Entrementes, no Planeta Arena as coisas estavam, por falta de palavra melhor, interessantes.

Uma parte do céu estava tomado por uma grande esfera de ki logo acima da cabeça de Seraphium que mantinha ambas as mãos voltadas para cima. Pequenas bolhas de energia estouravam por toda a superfície da esfera de ki em combustão. A quantidade de energia que ela emanava era assustadora e a forma como ela ligeiramente pulsava, indicava que mesmo que Seraphium desaparecesse, ela se manteria por si só. Ela era quase viva e parecia que se não fosse por Seraphium a segurar, ela explodiria e destruiria tudo a sua volta.

A cerca de um quilometro de distancia, estava Niko5 com uma esfera de ki que rivalizava a de Seraphium, mas ao contrário da esfera do inimigo, esta era azul.

Ambos se encaravam apesar da distância, e os outros guerreiros Z estavam flutuando alguns metros atrás de Niko5, próximos o suficiente para dar poder a esfera se fosse necessário. Seraphium não sabia, mas a esfera de Niko5 conseguia absorver ki de outros seres.

(Seraphium) – Estou pronto. Quando quiser que o ataque final comece, só avisar.

(Niko5) – VENHA COM TUDO.

(Seraphium) – Foi bom te conhecer. DESAPAREÇA!!!

Então Seraphium lançou a sua esfera com toda a força contra Niko5, que simplesmente moveu o seu poder para ficar de frente para si e não em cima de sua cabeça.

A esfera de Seraphium se chocou contra a esfera de energia de Niko5, que começou a absorver a energia que rodeava a esfera.

(Seraphium) – O que é isso?

(Niko5) – Esse meu poder pode absorver a energia de golpes de ki lançados contra ele, até um certo limite.

(Seraphium) – Eu não contava com isso.

(Niko5) – Eu contava…

Mas a esfera de Niko5 não conseguiu absorver toda a energia da esfera de Seraphium. Após absorver uma grande camada externa, a esfera mostrou-se ser meio esverdeada em seu interior e pulsar como um coração, sem ki explodindo, apenas energia pura, comprimida e viva.

Pouco mais de um segundo passou, então Seraphium lançou energia de sua própria mão que se chocou com seu poder e o forçou novamente contra a esfera azul de Niko5 e uma grande esfera de ki em combustão se formou. Niko5 quase foi absorvido pela energia graças a proximidade que estava do poder, mas conseguiu se afastar bem a tempo e lançar sua própria energia contra a esfera de ki em combustão no instante que ela estava quase explodindo em sua direção.

A esfera estava pendendo para o lado de Seraphium graças a vantagem inicial e a perda de tempo de Niko5, mas a energia que o guerreiro Z tinha aplicada na esfera era muito superior a de Seraphium, então muito rapidamente a dianteira estava passando para Niko5.

Era óbvio e visível que Seraphium dera um passo maior que a perna deixando a fusão ocorrer. Niko5 era mais forte e tinha habilidades bem interessantes. A única vantagem e chance de Seraphium ganhar, era usar o poder negro, mas no meio daquele embate de energias, ele não conseguiria fazer nada sem receber todo o impacto da esfera de ki em combustão.

Dai-Kaioshin chamou então o grande Dragão Mil e deixou tudo pronto para fazer o pedido no instante certo.

Agora era apenas questão de tempo para Seraphium ser derrotado.

Goku observava a batalha lá do outro mundo. Na verdade, todos os guerreiros do planeta do Super Sr. Kaioh estavam observando uma grande bola de cristal que Dai-Kaioshin criara especificamente para Goku ver a batalha quando o mesmo descobriu tudo e conseguiu contatar o Kaioshin.

Goku mantinha seus olhos em Seraphium e usava toda a sua concentração para poder sentir a batalha no planeta Arena. Graças ao controle de ki que ele ganhara com o Magnun, ele conseguia mover seu próprio ki estando muito distante de si e apesar de estar muito entranhado nas profundezas do planeta Arena, havia um pouco de sua energia lá e Goku estava puxando ela para a superfície. Após alguns segundos, ele conseguiu trazer energia o suficiente para envolver Seraphium e sentir sua aura.

Ele ficou surpreso.

Seraphium não chegava a ter uma aura como a de outros seres vivos, era diferente, mas não deixava de ser uma aura. Essa aura era por natureza maligna. Isso não havia como negar. Select por mais terrível que parecesse ser, possuía um pouco de bondade entranhada no fundo de sua aura, já Seraphium tinha o núcleo maligno e um pouco de bondade em torno desse núcleo. Goku não entendia o que isso significava por enquanto, mas sua mente trabalhava freneticamente e logo ele chegaria a resposta que daria a maior vantagem de todas aos Guerreiros Z nessa batalha contra os imortais.

Enquanto isso, no Planeta Arena, Seraphium estava perdendo e ele sabia disso.

A esfera de ki em combustão estava quase toda tomada pelo lado de Niko5 e por mais que Seraphium se esforçava, não conseguia avançar nem um centímetro, apenas perder espaço.

(Seraphium) – Você realmente é um lutador a altura.

(Niko5) – Você é um bom oponente também. Mas está na hora dessa batalha acabar! Dai-Kaioshin se estiver ouvindo, prepare-se, a nossa grande chance está para chegar.

Será que o poder de Niko5 será capaz de romper a cabeça de Seraphium em meio a energia em combustão, apesar de Master haver dito que ki em combustão destruía mais devagar que o processo de cura do imortal? E se conseguir, Dai-Kaioshin conseguira utilizar esse instante para terminar essa batalha? Seraphium finalmente será derrotado?

Não percam o próximo episodio de DragonBall BTU v2: “O Aviso de Goku”

Posted in 6 - Saga dos Imortais | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 2 Comments »

Episódio 117: Select e Goku

Posted by gabrielr15 em setembro 1, 2012

Um instante de dor excruciante deu fim a uma dor chata e continua por todo o corpo.

Novamente Select sentiu a morte se apoderar de si. E novamente estava em uma fila enorme em um grande salão. Um gigante olhava em vários livros e dizia para onde cada pessoa da fila deveria ir. Alguns iam para baixo e outros saiam por uma porta à esquerda. Select sabia que novamente iria para baixo.

Seus poderes estavam suprimidos novamente. Ele não entendia o porquê. Será que a sala realmente podia suprimir o poder de qualquer um? Ou a fonte primordial do ki não enviava tanta energia para aquela sala?

Ele realmente não sabia.

Depois de alguns minutos, chegou a sua vez.

(Hemadaio) – Nome?

(Select) – Select.

(Hemadaio) – Ah sim… Mas você já não morreu?

(Select) – Já, mas eu voltei e morri de novo.

(Hemadaio) – Ultimamente isso tem ocorrido bastante. Mas sempre existe alguém para derrotar alguém que foi para baixo que fugiu ou que foi revivido.

(Select) – Vamos logo com isso, não tenho o dia todo.

(Hemadaio) – Então vamos lá. Inúmeros assassinatos, centenas de atrocidades. Matou a própria mãe, apesar dela merecer. Mortes, destruição, maldades. É Inferno novamente.

(Select) – Obrigado.

E o chão se abriu e ele caiu.

E novamente lá estava ele no meio do inferno. Um lugar nada agradável com inúmeros ki enormes.

(Select) – E agora só aguardar o tempo que falta para voltar a viver.

(Goku) – Ou talvez não.

Select se virou e deu de cara com Goku, que já o esperava uma hora ou outra no inferno.

(Select) – Eu já te vi uma vez, quem é você?

(Goku) – Eu sou Goku, guardião do outro mundo. Responsável por manter a paz em todas as dependências do outro mundo.

(Select) – E o que isso tem haver comigo, eu não vou fazer nada que ameace a paz nesse mundo, na verdade nem pretendo ficar muito tempo aqui.

(Goku) – Você está ameaçando minha família e causou a destruição de meu planeta.

(Select) – Qual o seu planeta?

(Goku) – Terra.

(Select) – Seraphium destruiu seu planeta? Então eles nem eram tão fortes assim.

(Goku) – Eles são meus amigos, e não estão mortos, estão lutando com todas as forças contra Seraphium e ele está perdendo.

(Select) – Se eles derrotaram meu pai, eles realmente devem ser muito fortes.

(Goku) – Eles ajudaram, mas não foram eles que o destruíram. Fui eu que derrotei Slave.

(Select) – Você não pode ser tão forte, eu posso te derrotar facilmente.

E Select atacou Goku de frente e este foi lançado através do inferno. Ele se tornou Supremo Super Sayajin 7 no meio do ar, virou e atacou Select, que não entendeu nada. Como alguém poderia aumentar o poder de tal forma de um segundo para o outro. Em um instante Select estava no chão, completamente estarrecido, com sangue escorrendo do buraco que atravessava seu peito.

(Select) – Porque mortos sentem dor?

(Goku) – Você pode estar morto, mas tem um pseudo-corpo no inferno. A diferença é que mesmo que eu te fatie em pedaços você não pode morrer. Se eu juntar seus pedaços você se cura. A única forma de você morrer estando morto é se desaparecer inteiramente com o ki em combustão. Isso claro estando no outro mundo, se estiver morto em qualquer outro lugar está sobre as regras comuns da morte.

(Select) – Como matou meu pai. Seu ki ainda não é o suficiente para matar a mim se eu liberar todo meu poder.

(Goku) – Eu também não liberei todo o meu poder.

(Select) – Desgraçado.

(Goku) – Você deveria começar a se arrepender e deixar de lado sua vingança. Eu não vou ao mundo dos vivos te deter. Meus amigões estão lá e vão te derrotar. Se arrependa e terá uma chance, se não morrerá novamente.

(Select) – Mas eu voltarei.

(Goku) – Seu pai não voltou.

(Select) – Como fizeram isso?

(Goku) – Eu o matei duas vezes. Quando vivo e quando morto e assim ele desapareceu para sempre. Não cometa os mesmos erros que ele, não desapareça. Será um desperdício gigantesco de poder.

(Select) – Não me diga o que fazer e como fazer. Vou cumprir meu objetivo e me vingar de você. Escreva o que eu digo.

E então a aureola sumiu da cabeça de Select, ele já ia desaparecer quando Goku jogou um senzu para ele.

(Goku) – Coma isto, vai ajudar.

(Select) – Porque está me ajudando?

(Goku) – porque eu acredito no ser bom que pode estar dentro de você.

Select comeu a senzu e desapareceu voltando para o ponto do cosmo onde havia sido morto.

Não percam o próximo episodio de DragonBall BTU v2: “O Grande retorno da Esfera Azul. Será o fim de Seraphium?”

Posted in 6 - Saga dos Imortais | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

Episódio 116: Viverus contra Select: Quem sairá vencedor?

Posted by gabrielr15 em agosto 18, 2012

(Select) – Do que você está falando? Eu te libertei, deveria me agradecer por isso!

(Viverus) – Eu agradeço, mas isso não muda o fato de que quero lutar contra você. Tente me entender, fazem milênios que não tenho um adversário digno. Você tem o mesmo poder que eu. Vai ser divertido, vamos lá.

(Select) – Se é o que você diz, vai ser interessante testar sua imortalidade sob pressão.

Select ainda estava em sua forma sayajin, mas ele sabia que seu poder havia diminuído graças ao esforço que ele havia tido para destruir o casulo. Se entrasse em combate agora, ele provavelmente perderia, ele tinha que tomar uma providência para se recuperar e rápido.

(Select) – Mas você quer que eu lute com todas as minhas forças?

(Viverus) – Claro que sim, meu caro amigo.

(Select) – Então, você me desculpa, mas vou precisar descansar um pouco.

E Select saiu de sua forma sayajin.

(Viverus) – Bom, eu tenho todo o tempo do universo. Vou aproveitando para me alongar enquanto isso.

E então Viverus desapareceu. Ele simplesmente havia voado em alta velocidade sabe-se lá para onde. Apesar de Select ter os mesmos poderes que seu pai, ele não havia aprendido a onisciência, então mesmo tendo a capacidade de ver tudo ao seu redor ao mesmo tempo, ele não sabia fazer isso.

Select aterrissou no chão da caverna e ficou apenas tentando controlar sua respiração que estava alterada com o ataque que ele fizera, apesar de ele não precisar de oxigênio, a entrada de ar oxigenado em seu corpo lhe dava uma sensação muito boa, e o ajudava a se recuperar de seus embates.

(Select) – Realmente, quebrar esse casulo foi muito difícil. Com essa força, não serei capaz de quebrar os próximos casulos de forma alguma e não conseguirei libertar os imortais e me tornar um deles.

Select ficou ali descansando por pelo menos duas horas, antes de se reerguer e então se colocar em posição de combate.

Então ele liberou sua forma sayajin. Seu poder era surpreendente, mas não o suficiente, então ele liberou aquela forma que ele sabia que superava o super sayajin, a sua segunda forma de poder. Seu poder cresceu consideravelmente, mas ainda não era o bastante, era apenas a energia necessária para lutar corpo-a-corpo contra Viverus no mesmo nível.

(Select) – Preciso aumentar meus poderes.

(Viverus) – Eu percebi.

Select se virou assustado, ele não havia pressentido o retorno de Viverus.

(Select) – Você está me menosprezando, sabia disso?

(Viverus) – Estou te superestimando, meu caro amigo. Seu poder é bom, mas não o suficiente para cumprir seu objetivo. Mas felizmente, existem muitas formas de se aumentar o próprio poder em pouco tempo, e muitas delas são muito eficientes.

(Select) – Você parecer saber muito bem…

(Viverus) – Sim, eu cheguei ao poder que tenho, graças a inúmeros treinamentos de aumento de poder, e conheço inúmeras fórmulas que permitiriam qualquer um a aumentar de poder exponencialmente. Se me vencer, talvez eu lhe mostre algumas.

Select então atacou. Foi instantâneo, seu golpe acertou Viverus em cheio que foi lançado contra a parede da caverna, e atravessou-a saindo para a estratosfera do planeta após arrebentar dezenas de quilômetros das profundezas do planeta.

Quando chegou ao espaço, Viverus recebeu outro golpe diretamente na cabeça dado por um Select certeiro e mortal. Qualquer ser mais fraco que Seraphium não só teria a cabeça explodida, como os pedaços do corpo iriam se incinerar ao cruzar a imensidão do espaço, rompendo inúmeras atmosferas.

Mas Viverus apenas teve a orelha destroçada e em menos de um milésimo de segundo ela já estava inteira e Select havia sido cortado ao meio.

Um milésimo de segundo depois, os cabelos de Select se enrolaram em torno do pescoço de Viverus e apertaram com força para arrebentar a cabeça fora, mas falhou, pois quando os cabelos concentraram energia o suficiente, Viverus cortou eles com as próprias mãos.

Então Select golpeou Viverus diretamente em seu rosto com toda a força que pode reunir e lançou um golpe de ki. Através dos dedos fechados.

Viverus desapareceu em meio ao ki em combustão e após um segundo inteiro, ele saiu do meio do ki e deu um cabeçada com força em Select, que foi lançado em linha reta contra um planeta. Ele não apenas atravessou esse planeta, como atravessou mais cinco planetas antes de conseguir parar e voltar ao ataque contra Viverus, mas esse foi mal sucedido novamente. Quando Select chegou em Viverus, este estava com a mão para frente pronto para lançar um golpe de ki.

(Viverus) – Não foi o suficiente.

E então um poder gigantesco saiu da mão estendida de Viverus e atingiu Select em cheio que desapareceu no ki em combustão. Quando o ki se desfez por completo, Select ficou pairando no vazio, com um braço a menos, com o outro pela metade, e ambas as pernas pela metade. Seu cabelo estava cortado de forma estranha e mudou do dourado para o vermelho em questão de menos de um segundo.

Select cuspiu seu sangue misturado com ki liquido. Ele tentou se mover e deu uma inspirada profunda em busca de ar, mas falhou miseravelmente, não apenas por não haver ar no espaço, mas por seu pulmão estar em mãos lençóis.

(Select) – Que inferno.

Apenas os lábios se moveram. No espaço o som não se propaga, a menos que o som seja causado por ki, aí sim as ondas de ki levam o som aos outros. O mesmo ocorre nas palavras, no espaço apenas pelas ondas de ki pode-se propagar o som e Select não tinha energia o suficiente para propagar o som por ki. Ele estava quase cego e quase surdo também.

Lentamente, ele começou a se curar. Ao contrário de seu pai que era feito de puro ki, ele tinha carne, mas sua carne não era como a dos sayajins, ela havia ki entranhada nela, ki que jamais ia ao centro do ki. Esse ki estava ajudando a carne a se recompor, mas muito lentamente.

(Viverus) – Não. Acabou.

Viverus estava na frente de Select e cuidou para enviar o som especificamente pelo buraco do ouvido inteiro de Select. Select tentou se mover para se defender, mas não conseguiu.

(Select) – Como?

Novamente apenas os lábios se moveram.

(Viverus) – Se temos o mesmo poder? Fácil. Apesar de termos o mesmo poder, a cada golpe que você dá, você fica mais fraco, e a cada golpe que eu recebo e me recupero, eu também fico mais forte. Uma particularidade de meu povo, é que a cada golpe com poder igual ao nosso ao quase igual que recebemos, é como se absorvêssemos uma parte da energia e pudéssemos guardar para lançar contra nosso adversário logo em seguida.

(Select) – Então, você não é mais forte que eu, apenas lançou seu poder e um pouco do meu contra mim?

(Viverus) – Sim. Mas agora nesse estado que você está, sou mais forte. E eu sei que seu corpo sempre que chega próximo a morte e se recupera completamente, aumenta o poder de forma incrível, mas eu não deixarei você me passar dessa forma. Adeus.

Viverus levantou a mão para eliminar completamente Select, mas se lembrou de algo no ultimo instante.

(Viverus) – Onde estão meus irmãos?

(Select) – Terra. Próximo ao centro do universo. Ao noroeste a partir daqui.

(Viverus) – Obrigado. Adeus. Foi bom lutar contra você.

E então Viverus lançou o golpe final de ki eliminando Select completamente.

(Viverus) – Terra, ou o que sobrou da galáxia onde ela estava, ai vou eu.

E Viverus começou a longa viagem na direção noroeste em alta velocidade.

Não percam o próximo episodio de DragonBall BTU v2: “Select e Goku”

Posted in 6 - Saga dos Imortais | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 1 Comment »

 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.