Dragon ball B.T.U

O Universo não é o limite

Archive for outubro \29\UTC 2011

Episódio 105: O Reencontro

Posted by gabrielr15 em outubro 29, 2011

O silêncio se propagou em ondas pelas arquibancadas. Todos ficaram olhando para o céu tentando ver o que os lutadores estavam vendo, mas ninguém enxergava nada.

O silêncio foi trocado por murmúrios de desentendimento e depois por exclamações de “O que foi?”, “Vão desistir?” e “Parem de olhar para o céu e voltem a lutar seus…”.

Nº 10 observava atônito o céu de uma maneira que mostrava que ele nunca estivera tão desconcertado quanto agora.

Pan sentia a energia se chocar em seu corpo lentamente e a absorvia com seu próprio ki e não conseguia catalogar com nada que houvesse sentido antes.

Os garotos olhavam interessados para o fonte daquela estranha energia que parecia o tal de “ki” mas era diferente da que eles próprios irradiavam.

Era um ki estranho.

(Pan) – O que é isso?

(Nº 10) – É um ki, mas não parece ser um ki.

(Pan) – É diferente, nunca senti um ki assim, parece…

(Nº 10) – Menos substancial, como se o ki normal fosse feito de vários elementos e esse faltasse algum.

(Pan) – E parece ser tão grandioso e está vindo de tão longe… Qual é o poder de luta?

(Nº 10) – Não consigo detectar, é incalculável…

Pan ficou observando Nº 10 horrorizada. Todos os inimigos que eles tiveram um dia Nº 10 foi capaz de definir o poder de luta exato deles, mas esse “ki” que vinha do céu não podia ser definido… Será que não podia ser definido por ser maior do que os sensores de Nº 10 podiam sentir? Ou será que por ele ser menos substancial ele não podia ser definido. Ela torcia que fosse a segunda opção.

Outro ki riscou o céu vindo de outra direção.

Pan se virou e se pôs em posição de combate, mas era Piccolo que pousou na arena.

(Goku Jr.) – Quem é você? Porque você é verde?

(Piccolo) – Sou Piccolo Majunia, sou um namekuseijin. Você é o neto de Pan.

(Juiz) – Desculpe-me senhor, mas o senhor está atrapalhando uma…

(Piccolo) – Estamos em uma situação de crise, relés torneios humanos podem esperar. Alguma coisa grande e poderosa está vindo na nossa direção. Precisamos nos preparar para uma batalha.

Todos nas arquibancadas ficaram em silêncio ao ouvir as palavras de Piccolo. Nº 10 apareceu instantaneamente ao lado dele e Pan pulou uns 50 metros no ar e pousou ao lado de Piccolo. Os garotos se aproximaram dos adultos e todos olharam para o céu mais uma vez.

(Goku Jr.) – Vovó, você conhece essas pessoas?

(Pan) – Sim, eles fazem parte do grupo de guerreiros que salvou a terra inúmeras vezes com meu avô Goku.

O juiz olhou impressionado para eles ao ouvir as palavras de Pan.

(Juiz) – Bom senhores, aqui estão alguns dos guerreiros que lutaram ao lado de Goku, e segundo eles alguma coisa está vindo para a Terra, então daremos essa luta como suspensa e continuaremos o torneio em alguns di…

Nº 5 se materializou ao lado de Nº 10 com os olhos no céu também.

(Nº 5) – Pai, você consegue definir o poder de luta deles?

(Nº 10) – Não.

O silêncio novamente. Ninguém nas arquibancadas falava. Dois riscos de luz branca romperam o céu e Yuki e Gorin pousaram na plataforma. Ambos estavam com seus 97 anos, mas aparentavam estarem no auge dos seus 60 anos, na questão de aparência do rosto, seus cabelos ainda mantinham a cor natural e eles aparentavam ter a saúde de uma pessoa muito mais jovem. E aparentavam muito mais força também.

(Vegeta Jr.) – Vovô!

(Yuki) – Oi Vê, tudo bem?

(Vegeta Jr.) – O que está acontecendo vovô, esse poder que está no céu é diferente do que você me ensinou a pressentir!

(Yuki) – Eu percebi. Vejo que ou temos um novo aliado, o que acho meio improvável com a sorte que geralmente temos e com o fato desse planeta ser o maior imã de problemas do universo, ou…

(Gorin) – ou teremos uma briga daquelas para alegrar nossa aposentadoria!

Eles riram, mas ninguém mais parecia estar com esse clima. Goku Jr. observava Gorin que ele tinha visto em um churrasco há alguns anos e era seu parente.

(Nº 10) – Precisamos reunir as esferas do dragão.

(Goku Jr.) – As esferas do dragão?! Eu sei onde está uma, de quatro estrelas, está na antiga casa do meu tataravô Goku…

(Nº 10) – Essa é uma das esferas antigas, das esferas criadas aqui na Terra. Essas têm limitações, como o fato de absorver energia negativa conforme são feitos os desejos e serem mais fracas para realizar os pedidos. Precisamos das esferas que vieram de Kelphenzend.

(Yuki) – Eu pensei nisso. Trouxe o radar do dragão de bolso, e a nave que usamos na caça aos dragões numa cápsula.

(Nº 5) – Eu vou buscá-las. Me dê o radar e eu volto logo…

Nº 5 pegou o radar e sorriu consigo mesmo. Ele estava louco por uma boa briga. Dava uma estranha nostalgia a ele procurar esferas do dragão para reverter danos causados por um combate. Ele se teleportou.

Um ki hediondo tomou o leste do planeta que fez Goku Jr. e Vegeta Jr. tremerem de medo. Era gigantesco e parecia ter sido maligno antigamente, como o de Piccolo. Niko veio voando e chegou à plataforma, assustando os garotos. Ele parecia bem menos humano que Piccolo ou que os andróides.

(Niko) – Loucura minha achar que esse planeta ia ficar em paz para sempre não é? Acho que estouramos demais o limite de paz não é? 80 anos… Será que 100 anos de paz é pedir muito?

Gorin, Yuki e Piccolo riram com gosto. Pan e Nº 10 estavam extremamente preocupados com o futuro do planeta. Não havia mais Goku, Vegeta ou Gohan para ajudá-los. Vegeta e Gohan haviam morrido de morte natural, ou seja, não poderiam mais voltar. Goku se matara, mas pedira ao dragão que não pudesse mais ser revivido, então dava na mesma que se ele tivesse morrido de morte natural. A única guerreira da antiga geração que podia ser revivida era a Nº 18 e ela não tinha muito poder para uma batalha. Eles estavam sozinhos.

(Nº 10) – Impacto em 30 segundos.

Nº 5 apareceu do lado deles com duas esferas em cada braço.

(Nº 5) – Ainda faltam 3…

(Nº 10) – Se houver um combate nós damos conta por enquanto. Sei que você é o mais forte, mas busque as esferas e depois volte. Deixe-as no planeta Supremo e leve Dendê para lá. Não posso garantir que a Terra sobreviva. Se a coisa não estiver vindo para cá em especifico, ela vai atravessar o planeta e destruí-lo.

Nº 5 desapareceu e um risco vermelho cortou o céu. Na outra extremidade da plataforma, de frente para eles, havia alguma coisa.

 

Que “coisa” é essa? Será aliado ou inimigo? Porque depois de 80 anos de paz, a Terra voltou a ser alvo de criaturas do espaço?

Não percam o próximo episodio de DragonBall BTU v2: “O Aviso do Fim do Mundo”.

Posted in 6 - Saga dos Imortais | 3 Comments »

Episódio 104: O Torneio de Artes Marciais

Posted by gabrielr15 em outubro 26, 2011

Os dois punhos se chocaram com tanta força que a onda de impacto chegou a despentear os cabelos das pessoas nas arquibancadas.

Os dois garotos pularam para trás em movimentos idênticos e lançaram bolas de ki um no outro. O resultado foi que elas se chocaram no meio da plataforma e explodiram.

(Goku Jr.) – Você luta bem!

(Vegeta Jr.) – Você também não é nada mal…

Pan observava a luta da arquibancada, sorrindo. Os descendentes de Vegeta e Goku estavam travando uma batalha definitiva, coisa que os próprios nunca conseguiram.

(Goku Jr.) – Agora vou usar uma técnica que minha avó me ensinou.

(Vegeta Jr.) – Então vou usar uma técnica minha também!

(Goku Jr.) – KA – ME – HÁ – ME

(Vegeta Jr.) – Final…

(Goku Jr.) – HÁ! & (Vegeta Jr.) – Flash

Ambos os poderes se chocaram no meio da plataforma criando uma esfera de ki em combustão.

(Juiz) – E os guerreiros estão usando ataques de energia! O famoso Kamehameha do Mestre Kame e esse novo ataque Final Flash que eu não conhecia. Eles estão lutando com todas as suas forças!

A esfera crescia devagar, mas Vegeta Jr, que tivera mais treinamento de combate que Goku Jr, percebeu que se ela explodisse, poderia matar muita gente.

(Vegeta Jr.) – Vamos parar com esse ataque, antes que alguém nas arquibancadas saia ferido!

(Goku Jr.) – Concordo…

A energia parou de sair das mãos deles e a esfera de ki se desfez, sem alimentação.

(Juiz) – Que impressionante, eles pararam o maior ataque da partida que com certeza daria a vitoria a um dos dois, para evitar uma catástrofe se desse errado. Isso que é um luta de artes marciais de verdade. Aplausos para os lutadores…

Enquanto a platéia aplaudia com entusiasmo, os garotos lutavam a uma velocidade surpreendente, as vezes ficando invisíveis para o povo comum, porém Pan, e a garota parecidíssima com Bulma, não perderam eles de vista nem por um segundo.

Eles davam centenas de socos e chutes por segundo, parecendo borrões, mas nenhum dos dois havia se machucado ainda: quando um atacava o outro defendia. Então um soco atingiu o rosto de Goku Jr, que foi lançado para trás e, graças a uma cambalhota, conseguiu cair de em pé na plataforma. Havia um corte em sua bochecha.

(Goku Jr.) – Você luta muito bem mesmo!

(Vegeta Jr.) – Você ainda não viu nada…

Vegeta Jr. separou as pernas e se pôs em posição de fazer força.

(Vegeta Jr.) – AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH!

O fogo sayajin o dominou e seu poder aumentou. Raios começaram a circular pelo fogo. Ele era um Super Sayajin 2.

(Goku Jr.) – Você ficou mais forte!

Goku Jr. pulou para o mais longe possível de Vegeta Jr (o mais longe possível sem riscos de cair da plataforma) e ficou observando-o em posição defensiva. Vegeta Jr. ficou satisfeitíssimo que o seu adversário, que até então não tinha demonstrado sinal algum de fraqueza, estivesse com medo de um ataque dele.

Pan estava muito surpresa com o fato de Vegeta Jr. ser SS2. Ela percebeu que Yuki devia ter ensinado o garoto a lutar, no mínimo.

Um barulho característico de teletransporte foi ouvido por Pan, que ao se virar deparou com o Nº 10.

(Nº 10) – Senti um ki forte e fiquei curioso pra saber de quem era, mas agora vejo que são desses garotos.

(Pan) – Há quanto tempo Nº 10! É o meu neto e o neto de Yuki…

Enquanto isso Vegeta Jr. observava Goku Jr, analisando a melhor maneira de atacá-lo e Goku Jr. se preparava para uma defesa rápida.

(Vegeta Jr.) – Você consegue sentir a força do seu adversário?

(Goku Jr.) – Acho que consigo, se é o que eu estou pensando…

(Vegeta Jr.) – E então, o que sente?

(Goku Jr.) – Que você está mais forte que eu.

(Vegeta Jr.) – Então porque não desiste?

(Goku Jr.) – Por que nada nesse mundo vai me fazer desistir de uma luta, na verdade, é muito mais divertido lutar se você for mais forte que eu.

Vegeta Jr. partiu para um ataque direto e encheu Goku Jr. de socos, dos quais ele não pode se defender de nenhum, por causa da velocidade do ataque. O resultado foi que Goku Jr. estava estirado no chão, da plataforma, com o rosto inchado e sangrando. Também lhe faltava dois dentes.

(Goku Jr.) – Como eu disse, é muito mais divertido quando o adversário é mais forte!

(Vegeta Jr.) – Você têm razão, era melhor quando tínhamos a mesma força.

Vegeta Jr. tornou-se Super Sayajin 1 novamente e se pos a atacar. Goku Jr, mesmo ferido, conseguiu lutar no mesmo nível que seu adversário por mais vinte minutos.

Ambos pularam para trás ficando na ponta da plataforma, ofegando.

(Goku Jr.) – Eu nunca me diverti tanto…

Goku Jr, Vegeta Jr, Pan e Nº 10 se sobressaltaram e olharam para o céu à noroeste da arena.

 

O que será que sobressaltou os guerreiros? Será que é o filho de Slave? Será que ele está finalmente vindo para a terra para vingar seu pai?

Não deixem de conferir o próximo episodio de DragonBall BTU v2: “O Reencontro”.

Posted in 6 - Saga dos Imortais | 4 Comments »

Episódio 103: Voltando no Tempo – Parte 3

Posted by gabrielr15 em outubro 23, 2011

No episódio Anterior: Slave decidiu libertar Levinda de sua prisão e após ver que ela era uma Super Sayajin resolveu que teria seu filho com ela, para que ele pudesse ter o poder de se tornar Super Sayajin também. A pergunta que ficou no ar é, Levinda vai aceitar, ou morrer?

(Slave) – Vamos Levinda, não é uma escolha tão ruim sobreviver, só terá que cuidar de uma criança enquanto vaga pelo universo destruindo mundos. Te garanto que ninguém em nenhum desses planetas matará ele.

(Levinda) – Jurei que se fosse para criar um guerreiro de classe baixa, eu nunca teria um filho…

(Slave) – E o que é um guerreiro de classe baixa?

(Levinda) – Um sayajin que nasce com menos de 1000 de poder é classe baixa, de 1000 a 4000 é classe média e acima disso é classe alta…

(Slave) – Vocês contam o poder das pessoas ao nascer?

A risada de Slave deixou Levinda enlouquecida.

(Levinda) – Nasci com 9000 de poder e olha o que tenho hoje…

(Slave) – Já vi criaturas nascerem com 1 de poder e se tornarem bem mais fortes que você, no meu tempo de vigia. Mas acredito que um filho meu não nasça com menos de um milhão…

(Levinda) – Um milhão?

(Slave) – Mais ou menos, eu nasci com dois milhões…

Levinda deu um passo para trás horrorizada.

(Levinda) – Qual é o seu poder?

(Slave) – Agora, que estou ferido, não tenho certeza, mas quando eu recuperar meu poder total, cerca de 7 trilhões…

Levinda tornou-se Super Sayajin novamente e se pôs em posição de combate.

(Levinda) – 7 trilhões, só pode ser brincadeira, nada nem ninguém pode ir tão longe…

(Slave) – Nisso concordamos… Mas alguém juntou 1 trilhão de poder e me libertou de minha prisão, então talvez eu esteja errado quanto o que ou não possível nesse universo. A questão é que se eu tiver um filho, ele não ficará tão forte quanto eu, mas se ele ficasse, seria um problema para mim. Só quero alguém pra me ajudar no meu objetivo e caso eu seja apagado da existência no caminho, para continuar meus objetivos.

(Levinda) – Qual o seu objetivo?

(Slave) – Matar Kakarotto, aquele com o poder de destruir o universo e dominar ele logo em seguida… Agora quero te fazer uma pergunta, a poucos momentos eu disse que você tinha uns 12 milhões de ki, mas agora você liberou 15 milhões. A pergunta é, você não estava liberando todo o seu poder?

(Levinda) – Estava, mas você quase me matou e sempre que um Sayajin chega a beira da morte e se recupera, seu poder de luta aumenta.

(Slave) – Mais uma boa qualidade para um filho meu, então qual a sua resposta? Quer ou não ter um filho comigo?

(Levinda) – E o que eu ganho com isso?

(Slave) – Bom… Deixarei você destruir o planeta que quiser, não estou interessado em planetas com criaturas com poder inferior ao seu, então poderá se divertir a vontade.

(Levinda) – Mas você quer que eu crie a criança por que não ficará aqui. Aonde está indo?

(Slave) – Planeta Terra…

(Levinda) – Ah sim, a terra. Habitada por criaturas com tão pouco poder… Decidimos que quando as criaturas lá se tornarem adversário a altura, mandaríamos um guerreiro de classe baixa para lá. Mas se ela ainda está lá, não deve ter ninguém tão forte…

(Slave) – Lá tem focos de poder que superam os 250 bilhões.

(Levinda) – Mas como um povo tão fraco se tornou tão poderoso?

(Slave) – Não tenho certeza, mas pelo o que vi em você, seu corpo é um dos poucos que pode agüentar tanto poder. Acredito que deva ter criaturas como você lá.

(Levinda) – Sayajins? Na terra? Faça-me o favor, não ficaríamos lá, venderíamos o planeta, ou o destruiríamos…

(Slave) – Não se os Sayajins na Terra fossem do bem, e é o que eu acredito que sejam.

(Levinda) – Sayajins do bem?

(Slave) – Não quero discutir noções de bem ou mal nas espécies do universo, quero saber se topa ter um filho meu.

(Levinda) – Aqui? Agora?

(Slave) – Não sou como os seres machos de seu planeta, a resposta é sim ou não?

Levinda ficou observando ele e seu fogo sayajin desapareceu. Estudou Slave com os olhos por alguns minutos antes de responder:

(Levinda) – Pode ser.

Slave sorriu e levantou a mão. Uma esfera de energia se criou nela, mas não parecia ki para ataque, era diferente, ela pulsava quase como um coração.

(Levinda) – O que é isso?

(Slave) – Minha raça produz os filhos usando essa esfera, vou ver se consigo apenas produzir um espermatozóide.

A esfera continuou batendo como um coração por alguns instantes, até que se rasgou e uma pequena bolinha de energia ficou flutuando no ar. Slave observou-a com toda a sua atenção por alguns instantes, o que ele achava difícil quando se era onisciente, e achou que estava boa. Apontou o dedo para a barriga de Levinda e a esfera saltou entrando dentro dela sem a ferir.

(Slave) – Está grávida, não sei quanto tempo seu povo demora para gerar uma criança, mas acredito que demore um pouco menos, então cuide do meu filho e diga a ele que ele deve treinar e ser forte, e se eu não voltar, o alvo dele é a Terra.

 

Será que deu certo mesmo? Será que Slave teve um filho? E o que acontecerá com esse filho?

Não deixem de conferir o próximo episodio de DragonBall BTU v2: “O Torneio de Artes Marciais”.

Posted in 6 - Saga dos Imortais | 6 Comments »

Episódio 102: Voltando no Tempo – Parte 2

Posted by gabrielr15 em outubro 20, 2011

No episódio Anterior: Slave estava viajando pelo Cosmos rumo à Terra, quando ao parar em um planeta para descansar, sente um ki hediondo e acaba destruindo o planeta por acidente. Nos pedaços do planeta encontra uma rocha onde estava aprisionada Levinda, a destruidora de mundos

Existem diversos tipos de seres no universo e diversos modos de continuarem a sua espécie. Existem planetas como a Terra, habitados por homens e mulheres que precisam de um intercurso para a concepção de um novo ser.

Existem planetas, também, como Namekusei, onde existem apenas homens e eles criam seus próprios descendentes sem ajuda externa, nesse caso especifico, através de um ovo saído da boca.

Existem planetas como Railenia, onde existem apenas mulheres que criam seus próprios descendentes sem ajuda externa, nesse caso especifico, eles saem mais ou menos como na reprodução humana.

Slave era um dos seres que estavam classificados no segundo grupo. Ele era um homem, mas não precisava de uma mulher para ter um filho.

Para fazer um descendente, ele apenas precisava moldar um novo ser usando o seu ki.

Ou será que não?

(Slave) – Será que eu posso, ao invés de construir um ser inteiro, construir apenas um espermatozóide para fecundar outra raça que possa implementar os poderes de minha descendência?

A idéia de fazer aquilo viera tão rápido a sua cabeça, que ele se surpreendeu. No começo pareceu uma idéia completamente idiota, mas após pensar um pouco, não era.

(Slave) – Se eu juntasse meu material genético ao material genético do povo que conseguiu atingir um trilhão de poder em poucos anos e gerasse um novo ser, se eu fosse derrotado, esse alguém possivelmente ficaria mais forte que eu, e poderia continuar minha busca.

E Slave olhou para a criatura presa na rocha.

Ela era igual a uma mulher humana, com pequenas diferenças: seus cabelos eram um pouco espetados, seus olhos tinham pupilas negras, e ela possuía um longo rabo peludo…

(Slave) – A monstra destruidora de mundos, de que espécie ela será, e qual é o seu poder? Afinal de contas, para destruir um mundo inteiro, precisa-se de no mínimo uns 5000 de poder de luta, se for um planeta frágil, e precisaria lançar um poder até o centro do planeta pra destruir ele em uma reação em cadeia, e não em ki em combustão. Para explodir um mundo inteiro em ki em combustão, precisaria de muito mais poder. Acho que vou libertar ela…
Um raio vermelho saiu do dedo de Slave e começou a corta a pedra devagar, até restar apenas pouco mais de dois centímetros de pedra envolvendo o corpo de Levinda.

(Slave) – Será que ainda está viva? Preciso tomar cuidado para não matá-la… Ainda…

O raio vermelho ficou a centímetros da pedra, derretendo-a devagar, após uns dez minutos, Levinda estava completamente livre. Ao cair no chão seu olhos se abriram e observavam o redor astuciosamente e então, ela começou a arroxear.

(Slave) – Que Droga! Ela precisa respirar!

Slave agarrou seu pulso e em instantes estavam em outro planeta com atmosfera.

(Levinda) – Quem é você?

(Slave) – Sou Slave, filho de Omega, um dos guardiões do centro do ki.

(Levinda) – Não sei quem você é, ou quem é seu pai, e nem pense que vou lhe agradecer por ter me libertado. Sou Levinda, a sayajin destruidora de mundos

(Slave) – Sayajin! Não conheço esta espécie, deve ser mais recente… O que o seu povo tem de especial, hein?

Levinda se zangou.

(Levinda) – Isso! HAAAAAAAAAAAAA!!!

Raios começaram a envolver ela e seus cabelos começaram a se erguer e a cair, brilhando na cor amarela por instantes. Após algum tempo se esforçando ao máximo, a transformação ocorreu. Levinda era uma Super Sayajin.

(Slave) – Ah, interessante… Calculo que você tenha ficado presa por uns dois mil anos… E o que é essa transformação pelo qual passou?

(Levinda) – Sou a lendária Super Sayajin. Diz a lenda que a cada mil anos, uma pessoa de meu povo consegue se tornar Super Sayajin. Eu fui à única em minha era que consegui. Então saí do planeta Vegeta e comecei a destruir planetas pelo universo, sempre que o povo deles não me queria como rainha…

(Slave) – Vejo que seu poder não é grande coisa, mas é bem alto até…

(Levinda) – Não é grande coisa?

(Slave) – Não muito, cerca de uns 10.000.000 de ki. Mais que o suficiente pra destruir planetas, mas muito pouco para viajar para tão longe, como você está. Como chegou até aqui?

(Levinda) – Num planeta chamado Cynderon, roubei uma nave que viajava numa velocidade muito maior que a que eu tinha até então. Não me arrisquei a lutar contra as criaturas que existiam lá, elas tinham umas espadas que podiam cortar qualquer coisa, até mesmo a mim. Então resolvi pegar a nave e fugir…

(Slave) – Ah sim, Cynderon eu conheço.

(Levinda) – Mas chega de besteiras, desapareça: HÁ!

Um poder saiu da mão de Levinda e bateu com força em Slave, causando uma explosão descomunal que fez o planeta inteiro tremer.

(Levinda) – Mais um que se mete no meu caminho e…

Mas antes que ela pudesse dizer mais alguma coisa, Slave saiu do meio do ki em combustão, sem nenhum arranhão, e deu um soco na barriga de Levinda e acabou atravessando-a.

(Slave) – Ah droga, me empolguei de mais.

Levinda caiu, seus olhos girando nas órbitas, gritando de dor.

(Slave) – Droga, eu preciso dela, transformações de ki são uma boa habilidade a ser passada pra a descendência.

E então um ki verde se formou na mão de Slave e ele tocou a barriga aberta de Levinda que gritou de dor ao toque. Mas lentamente o buraco foi se fechando. Quando curada, Levinda deu um salto para trás, ficando o mais afastada possível de Slave.

(Levinda) – Como você pode ser tão forte? Ninguém deveria ser mais forte que um Super Sayajin!

(Slave) – As lendas de seu povo estavam erradas, eu sou o ser mais poderoso do universo conhecido. Como disse sou filho de Omega, guardião do centro do Ki, e roubei muito mais energia que a maioria dos seres vivos agüentaria sequer suportar dentro de si próprio sem acabar explodindo.

(Levinda) – O que quer comigo então, se é tão forte? Por que me libertou?

(Slave) – Quero um filho. Meu povo geralmente não precisa de mulheres para isso, mas eu acho que com ajuda de uma, posso tornar minha descendência mais forte ainda. Principalmente com essa transformação de ki que você têm.

(Levinda) – Um filho, com você, desculpe, mas você não faz o meu tipo…

(Slave) – Você tem duas escolhas, ou me ajuda, ou morre.

 

Qual será a resposta de Levinda? Ela fará o que Slave quer? Slave poderá ter um filho com uma mulher? E o mais importante, se ele teve, porque ele não atacou os guerreiros Z?

Não deixem de conferir o próximo episodio de DragonBall BTU v2: “A Viagem no Tempo – Parte 3”.

Posted in 6 - Saga dos Imortais | 1 Comment »

Episódio 101: Voltando no Tempo – Parte 1

Posted by gabrielr15 em outubro 14, 2011

A narrativa a seguir aconteceu no ano que Slave levou para ir do lugar onde tinha estado aprisionado para a Terra.

Slave se movia o mais depressa que ousava. Ele havia planejado um caminho na linha mais reta possível com uma parada em algum planeta a cada 30 horas terrestres para poder descansar, uma vez que seu corpo estava ainda muito ferido.

Numa dessas paradas, Slave resolveu testar os limites de seu corpo enfraquecido.

(Slave) – Hum, meus braços e pernas estão com diversos dos ligamentos internos de ki rompidos. Meu poder de auto-recuperação não está funcionando muito bem, parece que o meu ki está congelado nas minhas veias, então isso faz com que minha recuperação seja mais lenta. Não consigo mover meus cabelos. O ki de dentro deles também está nessa espécie de congelamento. Mas é claro que seria assim, aquele desgraçado era um guardião também. Ele sabia o melhor método de incapacitar qualquer outro guardião.

Slave apontou sua mão para o chão do planeta. Observou todos os cerca de 300 habitantes do planeta com sua visão onisciente. Nenhum deles tinha o poder superior a 200 de ki. Não haveria graça em eliminar um planetóide daqueles. O mais indicado seria sem dúvida…

Mas antes de Slave completar seu pensamento, ele congelou. Um calafrio de medo atravessou sua espinha quando ele sentiu um ki hediondo vindo de outro ponto do universo. Não tinha 1 trilhão, não estava nem perto disso, mas seu poder era superior aos 300 bilhões.

Slave olhou para o céu procurando, com sua visão, onde estava o guerreiro com tamanho poder. A terra estava na outra direção e era lá que tinha os maiores pontos de poder do universo. Ele supusera que era lá que estava quem o tinha libertado. Mas esse poder vinha de outro ponto. Pelo o que Slave sentiu, estava apenas sendo liberado ao máximo, não estava em batalha, parecia estar apenas em treinamento.

(Slave) – Quem será esse? Está muito longe, não consigo ver ele daqui, o mais longe que posso enviar o meu ki está a centena de anos luz de onde ele está, ou seja a luz que vem de lá nunca será captada por meu ki. E se eu expandir o ki até lá, serei descoberto e nem tenho certeza se conseguirei enviá-lo tão longe…

Slave, então, percebeu o quão fraco estava e o quão vulnerável estava. Se havia criaturas com tamanho poder em mais lugares do universo, seria difícil ganhar delas. O medo o assombrou, será que esse poder era de Kakarotto, o ser que poderia destruir o universo?

Nota do autor: era Goku que estava treinando no seu caminho de volta para a terra, mas Slave não sabia disso.

Slave deu um soco de frustração no chão.

O chão do planeta começou a fender em todas as direções, e uma gigantesca onda de tremores dominou o planeta inteiro. As fendas eram profundas e chegavam ao centro do planeta.

(Slave) – Que porcaria!

Ele deu um salto e pairou no espaço sideral observando o planeta todo rachado, com lava começando a sair das rachaduras. Mas não estava muito preocupado com o planeta, estava sentindo o ki hediondo, para ver se o seu dono tinha detectado o momento de descuido dele (Slave). Após alguns instantes de pavor, Slave se acalmou, a criatura não o havia percebido.

As criaturas no planeta perceberam que o seu planeta estava prestes a desaparecer e corriam em pânico por sua superfície. Slave ficou observando, extremamente interessado, o que cada uma das 300 criaturas fazia frente a morte iminente.

Algumas das criaturas voavam, não por intermédio de asas, mas sim por intermédio de ki, como os guerreiros Z. As que não sabiam (ou não queriam) voar estavam se abraçando em grupos e sentando no chão, para evitarem de cair com os tremores. Após uma analise mais precisa, os grupos geralmente uniam um homem e uma mulher adultos e uma ou mais crianças. As vezes havia um adulto com seu filhos, ou um casal de adultos sem filhos.

(Slave) – Amor fraterno. Estão prestes a morrer, e mesmo assim mantém os laços de amor.

Ele ficou observando um casal em especial abraçar o filho dizendo a ele que tudo estava bem, que os tremores iam acabar logo, logo, e eles iriam brincar juntos.

(Slave) – Sem dúvida os tremores vão acabar logo, logo, quando o planeta deixar de existir. E sim, vão brincar de prender a respiração, quando a atmosfera se desfizer. Só que nada está bem, vocês vão morrer.

E uma pontada estranha atravessou o peito de Slave, não era física, era emocional. Lembrou-se de seu pai e seu irmão, e sentiu um pouco de inveja daquelas criaturas no planeta. Mas a inveja sumiu tão rápido quando veio e foi substituída por ódio e rancor de seus familiares. Ele os odiava. Odiava seu pai por ter treinado-o por tanto tempo para ser o guardião e depois dar o posto a Master. Odiava Master por ele ser o guardião e ter roubado o seu posto de direito.

Mas uma coisa ele não podia negar, o vinculo que Master e seu pai Omega tinham, era surpreendentemente forte. Eles eram muitos unidos. O amor fraterno.

E olhou novamente para o casal que consolava o filho, tentando se reafirmar, mesmo sabendo que morreriam.

Os olhos de Slave se arregalaram frente a idéia que passou por sua cabeça e ele ficou parado ali, aterrorizado com a conclusão que chegará.

Ele deveria ter um filho.

(Slave) – Será que é uma boa idéia?

E ele ficou ali, parado, vendo o planeta literalmente se dividir em quatro partes e as criaturas em sua superfície todas começarem a flutuar, já que o centro de gravidade havia se perdido. Eles tinham um minuto ou dois de vida. A não ser que não precisassem respirar, daí demoraria um pouco mais para morrer, mas então a fome acabaria com eles.

Então ele notou que havia uma criatura no planeta que estava aprisionado dentro de uma rocha, congelada por efeito de algum poder muito forte. Slave parou na frente da pedra.

(Slave) – Aqui está escrito: “Aqui está a prisão eterna de Levinda, a monstra destruidora de mundos” Quem será que ela era?

A idéia se formou em sua cabeça tão rápido que o assustou.

 

Quem será Levinda, a monstra destruidora de mundos? Qual será a idéia que Slave teve? E o mais importante, se Slave morreu na ultima batalha, porque essa história está sendo revelada? O que ela tem de importante?

Não deixem de conferir o próximo episodio de DragonBall BTU v2: “A Viagem no Tempo – Parte 2”.

Posted in 6 - Saga dos Imortais | 2 Comments »

Dragon Ball BTU v2 – Abertura

Posted by gabrielr15 em outubro 9, 2011

Dragon Ball BTU (Beyond The Universe) foi criado para suprir a falta que Dragon Ball faz nas vidas dos fãs da série, como eu.

Todos sentimos saudades de Goku, Gohan, Vegeta e dos outros guerreiros Z. Quando Dragon Ball GT terminou, ficou aquele clima chato de fim de uma história muito boa que tinha um potencial ainda maior. A primeira tentativa de suprir esse “vazio” que ficou em nossas vidas sem Dragon Ball, foi o Dragon Ball AF (Alternative Future). Para quem não sabe, o DBAF foi criado pelos fãs, para que eles acreditassem que a história não havia acabado. Milhões de fotos foram lançadas no google e diversos “episódios” foram lançados no youtube.

Mas não era Dragon Ball de verdade, e nunca seria.

Na falta daquilo que ama, o ser humano tende a criar ou uma forma de se distrair dessa falta ou de preenche-la com outra coisa. A Saga AF nunca passou de um boato e acredito que nunca se torne uma série real.

Atualmente estão rodando pelo YouTube supostos videos de uma continuação de Dragon Ball chamada Dragon Ball Heroes (Ou Dragon Ball Hoshi), mas é apenas mais um forma dos fãs de se enganarem. Dragon Ball Heroes é um jogo de Arcade que foi lançado no Japão e os videos são promocionais do jogo.

Dragon Ball BTU nasceu assim também, mas ao contrário do AF ou do Heroes, o BTU não foi um boato: Ele aconteceu. No começo era apenas continuar a história, apenas dar um novo final a grande franquia de Akira Toriyama. Mas com o passar dos episódios e de minha entrada na produção da série, a história amadureceu mais, num era mais escrever um continuação, era escrever um final digno para uma das maiores e melhores séries de todos os tempos.

Novos aliados e novos inimigos apareceram durante a jornada de BTU, os limites de todos os guerreiros foram testados ao máximo e todas as formas sayajin idealizadas foram concretizadas. Do Super Sayajin ao Mega Sayajin.

Porém, como tudo o que é bom, Dragon Ball BTU completou seus 100 episódios e chegou ao fim. Um fim que deixou diversas pessoas que acompanhavam a série tristes. Na época decidi criar sagas Bônus, mas o projeto não saiu do papel pelo fato de eu não conseguir pensar em uma brecha no final que criei para um inimigo mais poderoso aparecer, ou para os guerreiros Z voltarem.

No final de minhas férias tive uma ideia de como continuar a série e comecei o processo de escrita. Decidi chamar de Dragon Ball BTU v2.

A nova saga se passará após o término do episódio 100 da série BTU e não trará os Guerreiros Z originais, uma vez que eles já morreram. Ou melhor dizendo, não trará todos os guerreiros Z originais, já que temos alguns que podem viver indefinidamente e alguns que ainda teriam idades de estar vivos após 80 anos da morte de Goku.

Sobre o novo inimigo, bem não posso adiantar muito agora, mas no episódio 101 vocês terão uma ideia, no 102 a ideia ficará mais nítida e no 103 terão quase certeza.

Os nossos heróis serão Goku Jr, Vegeta Jr, Gorin, Yuki, Piccolo, Nº 10, Nº 5 e Niko. Pan também estará presente, mas não estará mais em condições de lutar.

A listagem preliminar dos episódios estará escrita a seguir e poderá sofrer alterações durante o decorrer da série:

Episódio 101: Voltando no Tempo – Parte 1
Episódio 102: Voltando no Tempo – Parte 2
Episódio 103: Voltando no Tempo – Parte 3
Episódio 104: O Torneio de Artes Marciais
Episódio 105: O Reencontro
Episódio 106: O Aviso do Fim do Mundo
(A partir de agora ainda não está confirmado, pois ainda não escrevi)
Episódio 107: O Novo treinamento
Episódio 108: O Novo Inimigo chegou
Episódio 109: A Terra é Destruída
Episódio 110: A batalha no Planeta Arena

Essa listagem poderá ser alterada, e com certeza haverão mais de 10 episódios na nova Saga, esses são apenas os que eu já tenho mais ou menos idealizados.

Mas o que faz uma série, não é ela em si, são os seus fãs e, no nosso caso em específico, os seus leitores. Comentem todos os episódios. Essa é a melhor forma de eu saber se estou ou não agradando e de ouvir criticas e sugestões para novos episódios, poderes e sagas.

O primeiro episodio de Dragon Ball BTU v2 será postado quando eu receber novos comentários nesses post, então se você quer a nova saga, comente agora se gostou de BTU estar voltando ou não, se gostou dos nossos novos heróis ou não… Enfim, comentem, mostrem que não estou sozinho desse lado da tela. Lerei todos os comentários e responderei a cada um.

Aguardando retorno dos leitores,
GabrielR15

Posted in Dragon Ball BTU v2 - Avisos | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 4 Comments »

Episódio Bônus 4: Relembrando as Sagas de Slave e de SuperSlave

Posted by gabrielr15 em outubro 6, 2011

Após a ultima batalha dos guerreiros Z, Slave foi libertado de sua prisão eterna, porém ele estava muito fraco para liberar todo o seu poder. Ele viajou durante um ano para a Terra e depois de observar os guerreiros Z por 6 meses, percebeu que eles eram seres bondosos e decidiu liberar seu poder usando dos inimigos que tinham sido mortos pelos guerreiros da terra.

Ele ressuscitou Cell, Freeza e MegaCyborg e deu um pouco de seu poder para cada um deles. Então eles partiram para a Terra para enfrentar os guerreiros Z. A batalha começou no planeta arena, com Freeza sendo o primeiro combatente. Após vinte minutos de combate, Vegeta, Gohan, os dois andróides, Trunks, Goten, Piccolo, Ubuu e Niko estavam no chão. Ubuu foi morto e Niko10 tenta atacar Freeza, mas esse revela que não estava usando todo o seu poder. Então surge Vediham que ataca Freeza que é forçado a passar para a sua Segunda forma.

Freeza Fase 1 – 700.000.000.000
Vediham SSS5 – 770.000.000.000
Freeza Fase 2 – 900.000.000.000

Vediham, Niko10, Gotenks, Piccolo e N° 5 passaram maus bocados no tempo que se seguiu. Todos se separaram das fusões após quase morrerem e Piccolo foi eliminado. Eles comeram as senzus e Vediham5 apareceu e forçou Freeza a ir para a sua terceira forma.

Vediham5 SSS5 – 990.000.000.000
Freeza Fase 3 – 1.100.000.000.000

Goku aparece quando os guerreiros Z iam ser exterminados e Vediho aparece para deter Freeza que passa para sua quarta forma. Freeza venceu o combate e matou Goku e Trunks. Goku volta do outro mundo, ainda morto, e Vediho aparece e derrota Freeza com a compressão de ki. Então começou o combate contra Cell.

Freeza Fase 4 – 1.400.000.000.000
Vediho SSS5 – 1.300.000.000.000
Cell – 1.500.000.000.000

Sem nenhum esforço, Cell matou Vediho e esse volta do outro mundo, ainda morto. Logo em seguida é a vez de Goten morrer. Vediho também desapareceu em um ataque de ki, fazendo com que todos acreditassem que ele havia sido eliminado da existência, porém no ultimo instante dendê o revivera, junto com os outros guerreiros mortos e agora Gorin e Yuki vieram para a batalha. Todos atacaram ao mesmo tempo e Cell foi finalmente destruído. MegaCyborg se colocou em posição de embate.

Vediho SSS5 – 1.500.000.000.000
MegaCyborg Fase 1 – 1.600.000.000.000

Percebendo que não havia alternativa, Vediho se divide e Goku lança uma bomba de ki para explodir MegaCyborg, mas que explodiria todos os guerreiros Z. No ultimo segundo ele absorveu todo o poder da bomba para dentro do chip dele e explodiu com ela. Logo em seguida seus pedaços se juntaram e formaram a sua segunda forma, totalmente intacto e restaurado.

Vediho SSS5 – 1.550.000.000.000
Gotenks SS7 – 360.000.000.000
Goryuki SS6 – 15.000.000.000
Niko10 – 220.000.000.000
MegaCyborg Fase 2 – 1.700.000.000.000

Vediho, após a uma grande batalha, conseguiu penetrar sua mão dentro do corpo do robô e arrebentar seu chip com a compressão de ki, no instante de raiva, MegaCyborg matou Vediho que retornou, ainda morto. Piccolo deu a sua vida para reviver Vediho, graças a um poder de Dai-Kaioshin.

MegaCyborg decidiu torturar Vediho emocionalmente e matou Gotenks de um forma violenta e dolorosa, o choque e a dor fez Vediho tornar-se SSS 6 e MegaCyborg passou para a sua ultima forma para recuperar seu chip.

MegaCyborg Fase 4 – 1.900.000.000.000
Vediho SSS6 – 2.200.000.000.000

Percebendo que ia morrer, MegaCyborg ativou seu modo de autodestruição para destruir toda a galáxia do norte e, com sorte, levar Vediho junto. Quando explodiu, Vediho usou todo o seu ki para conter a explosão e depois com um tapinha destruiu o chip de MegaCyborg, com ki zerado. Slave começou a atacar.

Slave – 2.450.000.000.000

Slave, para humilhar os guerreiros Z lutou usando apenas os cabelos, porém após milhares de golpes a luta se tornou difícil de mais e ele começou a lutar normalmente. Quando não parecia mais haver esperanças, Vediho começou a carregar a primeira Genki-Dama de ki.

O poder falhou levando Vediho a um estado de quase-morte, porém no ultimo segundo Nº 5 deu a ultima senzu a ele e ele se tornou SSS7.

Vediho SSS7 – 3.000.000.000.000

Mas por incrível que pareça, Slave matou Vediho quando aprendeu a usar o Big Bang Kamehameha, fazendo co quem Vediho o atacasse com um simples masenko. Então Vediho, morto, apareceu na frente de Slave e o eliminou com um único golpe de ki.

A paz foi instaurada, todos foram revividos e um estoque de senzus foi produzido. Então os guerreiros Z treinaram por dez dias (vinte anos) na morada do tempo ampliando em muito os seus poderes para quando houvesse a próxima batalha.

No inferno Vediho descobriu que Goku era o ser que as lendas diziam que poderia destruir todo o universo e, após pegar o seu poder de volta dos outros inimigos, reviveu e foi encontrar os guerreiros Z para travar combate.
Vediho e Slave vão para o planeta Arena e começam o combate final. Vediho quase morreu e se recuperou graças a uma senzu.

Vediho SSS7 – 5.000.000.000.000
Slave – 7.000.000.000.000

O resultado não podia ser outro. Gohu e Vegeta caíram quase mortos e comeram senzus, mas antes de poderem se unir Slave separou-os e Gohu tentou usar a Genki-Dama de Ki, mas ela foi destruída por Slave antes de se formar. Gohu e Vegeta foram juntos atacar Slave e esse matou Vegeta com um único golpe. Como aquilo não foi o bastante para irritar Gohu, Slave destruiu grande parte do universo.

Gohu se dividiu quando os brincos explodiram sob a força que Goku emanou e passou para a ultima forma sayajin, o MegaSayajin.

Goku – 7.500.000.000.000

Com um único golpe matou Slave que, como ainda morto, fugiu do inferno a toda velocidade rumo ao centro do ki, Goku o seguiu e quando chegou lá encontrou Slave absorvendo energia do mesmo. Antes de Goku impedir ele, Master, o guardião do ki, apareceu e fez Slave parar.

Slave – 15.000.000.000.000

Goku começou a formar a Genki-Dama de Ki com a energia de todos do universo, enquanto Slave e Master batalhavam corpo-a-corpo. Temendo o poder de Goku, Slave tentou matá-lo com um golpe, mas Master se colocou no meio e morreu, salvando Goku.

Master e Slave continuaram lutando e ambos já estavam vivos de novo quando a Genki-Dama atingiu o poder necessário para matar Slave. Master o segurou e Goku matou ambos com um pouco mais da metade da grande esfera.

Slave reapareceu e lançou um golpe contra Goku que lançou o resto do poder e ambos ficaram em um combate mortal com a grande esfera de ki em combustão no meio. Quando Goku achava que estava perdido, os seres do inferno finalmente aceitaram que perderam de forma justa e deram seus poderes para a genki-dama.

E então finalmente Slave desapareceu. Goku tomou a decisão de morrer e descobriu que era a certa, que não iria destruir o universo.

E Assim acaba a história de Dragon Ball BTU.

Posted in Episódios Bônus | 2 Comments »