Dragon ball B.T.U

O Universo não é o limite

Archive for novembro \16\UTC 2011

Episódio 108: O Novo Inimigo Chegou

Posted by gabrielr15 em novembro 16, 2011

Seraphium voava com toda a sua velocidade pela imensidão negra do universo, a cada planeta habitado pelo qual ele passava ele lançava um pequeno golpe de ki que fazia o planeta entrar em reação em cadeira para ser destruído, assim as criaturas poderiam sentir o medo da morte antes de morrerem.

Seraphium tinha ficado aprisionado por mais tempo do que ele mesmo seria capaz de calcular, logo ele um dos poucos seres que estavam de pé quando o universo era tão pequeno…

Quando ele nasceu existiam apenas cerca de 600 bilhões de planetas e 5 vezes essa quantidade em estrelas. Uma fração muito pequena do que se tinha hoje em dia.

E ele percebeu que a maior parte daqueles 600 bilhões de planetas já não existia mais.

A dúvida que o cortará durante cerca de seus 80 bilhões de anos terrestres (ou cerca de 79 anos universais) sobre o que havia após a morte o cortou novamente, onde será que estariam as criaturas que existiam quando ele nasceu?

Ele nunca saberia e essa era a sua ruína. Uma boa parte das criaturas que ele tinha encontrado acreditava em um paraíso onde os bons poderiam viver em paz. Ele nunca conheceria esse paraíso sendo bom ou mal.

Ele se tornara mal por odiar todos aqueles que tinham a chance de ter algo melhor que ele e os matava e então percebia que estava dando a eles o lugar melhor, por isso ele gostava de dar tempo para as pessoas se apavorarem antes de morrer. Era mais divertido ver os planetas explodirem em reações em cadeia demoradas que podiam durar até 48 horas terrestres. Tanto tempo pros seres entrarem em pânico…

Ele tocou o lugar onde deveria estar o seu coração que a muito tempo parará de bater. Ele era um tolo que queria viver para sempre, que tinha medo da morte e descobriu como fazer isso. Seu coração parou de bater no instante que ele ganhou a imortalidade e ele se tornou frio e gelado… Um corpo incapaz de desaparecer, era isso o que ele era. Um corpo morto que ainda transitava por ai.

Em sua frustração e raiva ele explodiu um sistema estelar inteiro explodindo cerca de 34 planetas habitados com uma onda de ki.

Ele e os outros quatro tinham vivido por 10 anos universais como verdadeiros lideres do universo conhecido. Ele era o mais fraco dos 5, mas isso não importava muito quando não se podia morrer. Ele viu o “lacre do ki” ser levantado e viu seus companheiros terem seus poderes limitados. Todos eles finalmente tinham o mesmo poder e estavam finalmente vulneráveis pois estavam no limite máximo de ki que poderia ser alcançado.

Então aqueles 50 guerreiros mais fortes do universo, além deles, lutaram com eles e morreram um a um, mas conseguiram os enfraquecer para que os últimos 5 morressem os aprisionando em prisões feitas de sua própria energia, ou seja só alguém que tivesse mais de 1 trilhão de poder poderia os libertar.

Eles juraram vingança contra todos os seres daquele universo e prometeram vida eterna aqueles que os libertassem. Os Supremos-Kaioshins da época carregaram suas prisões para pontos afastados do universo conhecido morrendo em suas missões pela distância que tiveram de percorrer. Um planeta foi construído ao retorno de cada um deles.

Bilhões de criaturas tentaram arrebentar o lacre querendo a imortalidade que tínhamos prometido, mas nenhuma tido sido capaz disso, e ele sabia porque o lacre precisava de no mínimo 1.000.000.000.001 para ser quebrado e o máximo que alguém podia ter era 1 trilhão.

Ele já tinha se resignado com o fato de que estaria para sempre preso pelo menos até o fim do universo, se é que ele teria um fim, e mesmo assim ele não sabia dizer se não estaria vivo depois que nada mais existisse.

Então ele aparecera. Um garoto com 80 anos terrestres de idade (mas aparência de 17 anos) com longos cabelos vermelhos que se moviam como cobras apareceu e disse que lhe daria a liberdade em troca da imortalidade. Seraphium lhe dissera que precisava libertar todos os 5 pra receber o dom da imortalidade e o garoto concordou e rompeu o lacre que não deveria nunca ser rompido com uma facilidade que chegava a assustar quando seus cabelos ficaram dourados. Quando ele estava com a guarda baixa, Seraphium deu o bote e apagou ele com um golpe de ki, mas cerca de meia-hora depois o garoto reaparecera e disse que aquilo tinha sido desnecessário e inútil.

Ele contou para Seraphium que sempre podia retornar dentre os mortos, mas não queria ter nenhuma vulnerabilidade, por isso buscava a imortalidade. Seraphium contou onde os outros estavam e o garoto lhe disse para ir numa determinada direção que encontraria guerreiros que lhe dariam uma luta verdadeiramente válida.

Seraphium voava naquela direção sem contestar, ele estava com fome, muita fome, ele precisava matar alguém com muito poder para alimentar sua fome. Esse era outro problema de sua imortalidade, ele precisava matar outras criaturas, quando ele matava ele preenchia a “fome” que o dominava, e quanto mais forte aqueles que ele matava, mas a fome era domada. Todos os planetas que ele estava destruindo não estavam conseguindo preencher o vazio que ele estava sentindo.

Uma luta válida significa muito poder e uma promessa de aliviar aquele vazio.

Uma parte pequena de sua mente lhe avisava que o garoto era mais forte que ele e mesmo assim não estava indo para esse planeta… Algo lhe avisava que essas criaturas podiam realmente lhe causar dano… Mas essa parte pequena não fazia nem cócegas no resto que sabia que por mais forte que fosse o inimigo ele nunca poderia vencê-lo.

Então ele sentiu. O foco de poder estava a frente dele e ele se focou nele, um grupo de poderes simplesmente apareceram ali como se não existissem antes ou tivessem estado em outra dimensão.

Seu coração morto estava louco para ser preenchido pela morte deles…

Seraphium passou voando por um planeta que ele percebeu que nem ele seria capaz de destruir. Aquilo o assustou, o quanto mudara no universo no tempo que ele estivera fora?

Então ele pousou no planetóide azul e verde onde os focos de poder estavam.

(Nº 10) – Você deve ser Seraphium, não é?

(Seraphium) – Então você sabe quem sou… Estou impressionado com o poder que você e seus amigos estão emanando.

Nº10 e Nº 5 ofegaram quando leram o buraco negro que parecia existir dentro do coração de Seraphium.

(Seraphium) – Finalmente serei capaz de preencher esses anos todos de fome…

(Nº 10) – Como uma coisa como você pode sequer existir?

(Seraphium) – Eu me perguntei isso todos os dias de minha vida imortal.

(Nº 5) – Você não destruirá nosso planeta!

(Seraphium) – Eu vou sim… Por mais insignificante que ele seja, não costumo deixar nenhum planeta de pé depois que eu parto dele…

(Nº 5) – Eu não consigo entender você… Destruir tudo e a todos, e o que você fará com o resto da eternidade quando não houver mais nada a destruir? Vivendo para sempre uma hora você vai acabar acabando com tudo!

(Seraphium) – Vou esperar que o universo seja o suficiente para encher esse vazio, mas se ele não for, espero que quando não houver mais tentação e possibilidade de encher esse vazio que ele finalmente possa me destruir. Se bem que todo o tempo que passei aprisionado ele não foi capaz de me destruir, apenas me deixou enlouquecido de fome de mortes… Se eu tivesse uma segunda chance não teria escolhido o que escolhi, mas agora não posso fugir daquilo que sou. Eu não tenho escolha, eu preciso matar… Esse foi o preço pela imortalidade, viver para sempre matando outros.

(Yuki) – Então não temos escolha a não ser pará-lo…

(Seraphium) – Não me deixarei ser aprisionado novamente…

(Gorin) – Quem disse que vamos te aprisionar? Isso nunca funciona, vamos destruir você de uma vez por todas!

(Seraphium) – Eu sou imortal! Nada pode me destruir!

E a gargalhada fria e cruel de Seraphium preencheu toda a planície onde os guerreiros Z tinham decidido esperá-lo.

Essa seria a maior batalha de todos os tempos.

Eles vão conseguir derrotar Seraphium? Ou morrerão tentando? E o filho de Slave, ele conseguirá libertar os outros imortais e se tornar um deles? E independentemente de conseguir ou não a imortalidade, os guerreiros Z serão capazes de derrotá-lo?

Não percam o próximo episodio de DragonBall BTU v2: “A Terra é Destruída”.

Anúncios

Posted in 6 - Saga dos Imortais | 2 Comments »

Episódio 107: O Novo Treinamento

Posted by gabrielr15 em novembro 12, 2011

O silêncio correu em ondas por todo o lugar.

Todas as pessoas nas arquibancadas ficaram em completo silêncio, a maior parte não havia ouvido a metade do que deveria ter ouvido, mas alguns entenderam o teor das palavras da coisa amarela. Algo grande e forte estava vindo para a Terra.

A atmosfera carregada de silêncio começou a se alterar gradativamente para o medo e logo em seguida ao pânico. Os gritos de crianças chorando começaram a romper por todos os lados.

Entrementes, Nº 5 reaparecerá avisando que as esferas e Dendê estavam seguros e Nº 10 lhe explicou o que estava ocorrendo.

(Pan) – E agora?

O silêncio dos guerreiros era pontuado pelos gritos das crianças nas arquibancadas e pela confusão de gente que estava fugindo as pressas dela. Só havia um problema, não havia para onde fugir.

(N° 10) – Temos que nos preparar. Acredito que estejamos todos enferrujados. Pelo pouco que faço de leituras, todos perdemos poder de luta e você mesmo Pan, parece que seu poder caiu a bem menos do que um quarto. Você não será muito útil em uma batalha, desculpe.

(Pan) – Isso eu já sabia. Desde que eu tive minha filha eu não lutei mais…

(Nº 10) – Então você está fora. Os outros vamos para a plataforma celeste. Ou bem, os garotos deveriam ficar de fora disso…

(Yuki) – Discordo. Eu não conheço o neto da Pan, mas o meu neto tem potencial de combate. Ele não é tão forte quando nós, mas ele tem um grande poder e se treinado de verdade pode se tornar um guerreiro muito poderoso. Se ele não estiver pronto para esse combate, tudo bem, mas podemos começar a treiná-lo junto conosco.

(Vegeta Jr.) – Eu não entendi essa história muito bem, mas vamos treinar para deter um inimigo forte, é isso?

(Nº 10) – Em resumo muito mal feito, sim.

(Vegeta Jr.) – Então eu quero treinar!

(Goku Jr.) – Eu também!

(Nº 5) – Teremos que treinar fundo por muitos anos, não temos mais máquina de gravidade, então acho que seria interessante ficar tanto tempo quanto a morada do tempo agüentar. Todos de acordo?

(Goku Jr.) – Anos? Vocês estão doidos?
(Yuki) – Estamos.

Todos os guerreiros ali presentes foram tomados pelo ki branco e saíram voando, deixando apenas Pan para trás. Por mais que ela quisesse, ela sabia que jamais poderia lutar novamente como uma guerreira z.

Os garotos seguiam os adultos com enormes duvidas e curiosidade. Tudo aquilo era novo para eles. Os adultos tinham dito que eles treinariam por anos, mas parecia muito estranho frente ao fato que tinha criaturas do mal vindo direto para a Terra.

Como a Terra tinha ficado em paz, Bulma jamais reconstruiu a maquina de gravidade antes de morrer, por isso eles perderam a vantagem de poder aumentar seus poderes exponencialmente em pouco tempo. Agora tudo o que eles tinham era tempo quase indefinido. Com ênfase no quase, pois a sala não iria durar mais que vinte anos, eles já haviam testado antes…

Yuki e Gorin estavam animados com a possibilidade de lutar novamente, eles eram velhos muito humorados e que odiaram não ter com quem lutar.

Nº 10 e Piccolo estavam extremamente temerosos, eles não queriam uma batalha porque já sabiam quais eram as chances de vitória. Elas eram mínimas. Nº 5 também pensava que as chances eram mínimas, mas ele mesmo assim se mantinha animado, ele tinha um espírito de lutador muito forte e qual tinha sido a vez que as chances deles não tinham sido mínimas? E mesmo assim eles estavam ali.

Niko estava neutro, ele queria e ao mesmo tempo não queria lutar. Ele era guerreiro e adoraria esticar as pernas novamente, por assim dizer, mas ele odiava saber que estavam todos em perigo novamente e que ele era um dos que tinham o grande fardo de deter esse perigo.

O planeta passava devagar debaixo dos guerreiros que se moviam sem pressa, economizando suas energias enquanto regurgitavam e re-engoliam seus próprios medos.

A torre Karin apareceu no horizonte e os garotos se maravilharam quando os guerreiros Z começaram a voar na vertical em direção ao topo quase invisível. Para os garotos tudo aquilo era tão novo e interessante… Eles finalmente pousaram na plataforma.

(Sr. Popo) – Eu estive preparando a Morada do Tempo, eu coloquei metade do estoque que temos de senzu lá dentro. Eu estive olhando tudo.

(Goku Jr.) – Senzu?

(Nº 10) – Entrem na sala e lhes explicamos tudo lá dentro, lá dentro teremos dias se vocês quiserem apenas para explicar o que vocês quiserem, aqui fora é um desperdício do pouco tempo que temos…

(Nº 5) – Esperem, vamos reunir as esferas do planeta Mil aonde? E quem vai estar pronto para fazer o pedido na hora certa?

(Dai-Kaioshin) – Eu posso fazer o desejo na hora certa, posso vigiar vocês de qualquer lugar do universo. Mas para isso preciso que vocês as reúnam antes.

(Nº 5) – Eu vou reunir elas, e volto para cá quando tiver terminado.

(Yuki) – Use a nave que está no hangar 12 da Corporação Cápsula, ela é a mais rápida que já foi inventada.

Nº 5 concordou com a cabeça e sumiu junto com Dai-Kaioshin, que segurava seu braço. Todos os outros entraram na sala do tempo.

Exatos 5 dias após partir, Nº 5 retornou e entrou na Sala com um olhar muito surpreso ao ver os guerreiros ali dentro. Como ele tinha pensado antes, por mais que as chances fossem contra eles, eles sempre arranjariam um jeito de vencer.

E sabe o por quê? Porque a força deles não era apenas física ou espiritual, a força deles era a força de suas escolhas: a escolha de dar suas vidas por aquele minúsculo planeta verde e azul era o que os tornava dignos e capazes de defendê-lo até as ultimas conseqüências.

Não era apenas por controle do planeta, era por verdadeiros laços de amor e fraternidade com a Terra e com as pessoas que lá viviam.

Dentro da sala Nº 10 e Nº 5 travavam uma batalha incrível e indescritível. E não só eles, todos lutaram entre si e a cada soco que davam ou recebiam eles ficavam mais fortes.

Enquanto eles respirassem, Havia uma esperança.

 

Não percam o próximo episodio de DragonBall BTU v2: “O Novo Inimigo Chegou”.

Posted in 6 - Saga dos Imortais | 2 Comments »

Episódio 106: O Aviso do Fim do Mundo

Posted by gabrielr15 em novembro 6, 2011

A “coisa” se mexeu.

Não havia outra forma de definir aquilo. Era completamente amarela, e tinha uma forma humanóide, mas não parecia ser um ser vivo.

E emanava uma grande quantidade de “ki”. Menos substancial como dissera Nº 10, parecia que faltava alguma coisa…

(??????) – Olá terráqueos…

(Nº 10) – Quem é você?

(??????) – Eu sou uma imagem de ki criada para dar uma mensagem aos guerreiros da Terra, meu caro Nº 10.

Todos ficaram surpresos. Ninguém sabia que se podia criar uma imagem de ki para transmitir mensagens. Mas o Nº 10 foi o que ficou mais surpreso.

(Nº 10) – Como sabe o meu nome?

(??????) – Eu sei tudo sobre você… Cada pequeno minuto de sua vida. Desde o momento que abriu os olhos em Cynderon e viu o Dr. Cynder e Nº 15 observando-o até o exato momento de agora. Cada detalhe eu vi. Não só os seus, mas o de todas as pessoas desse planeta e de todos do universo, em especial aqueles que possuem quantidade sobre-humanas de ki.

Dai-Kaioshin apareceu.

(Dai-Kaioshin) – Pensei que fosse proibido aos guardiões se comunicarem com os seres do universo…

(??????) – Salvo situações especiais, como quando Goku foi ao centro do ki e quando escreveram numa pedra o perigo do fim do universo e deixaram no planeta supremo e como agora.

(Nº 10) – Estou perdido você é???

(Master) – Sou Master, filho de Omega, irmão de Slave e guardião do centro do ki. O ser mais onisciente do universo conhecido, uma vez que meu pai e meu irmão já partiram para sempre.

Todos os presentes ficaram extremamente honrados em escutar o guardião do centro do ki. Não era uma coisa que acontecia todos os dias. Pelo menos os adultos, os dois garotos estavam completamente perdidos na história.

(Niko) – Bom, se está aqui, ou alguma coisa muita boa ou muito ruim aconteceu ou vai acontecer.

(Master) – Vai acontecer. E é ruim.

(Yuki) – Como eu disse, ô planetinha pra ser imã de problemas que é o nosso hein?

(Gorin) – Eu acho que o imã de problemas somos nós, os guerreiros da Terra.

(Master) – Eu não tenho muito tempo. A questão é que Slave foi apenas um dos perigos que este universo já enfrentou. A muito tempo atrás, antes mesmo de eu mesmo existir, houveram cinco criaturas que disseminaram o caos no universo.

(Piccolo) – Quais?

(Master) – Eles tinham vários nomes, alguns os chamavam de Os Guerreiros do Apocalipse, mas eles mesmos se autodenominavam de outra forma… Os guerreiros imortais.

(Nº 10) – Me desculpe, mas quando você diz imortal, quer dizer que eles se autodenominavam assim porque ninguém conseguia vencê-los, ou…

(Master) – Ou. Exatamente, eles eram verdadeiramente imortais, ao contrário de mim que se eu morrer posso voltar a vida, eles nunca morrem, se forem consumidos em ki em combustão, seus corpos se regeneram mais rápido do que o ki queima eles.

(Yuki) – Mas se existiam criaturas assim, como elas foram derrotadas?

(Master) – Essa é a questão, elas não foram. Como era impossível destruí-las, elas foram aprisionadas para todo o sempre, ou pelo menos até o fim do universo. Ao contrario de todos os seres vivos, eles dependem do universo, eles não podem existir em nenhuma outra dimensão que não seja o universo.

(Gorin) – Deixa eu adivinhar, eles se soltaram ou foram libertados.

(Master) – Um deles foi libertado. Cada um deles foi aprisionado em pontos diferentes do universo. Foi construído um planeta em torno de cada um para escondê-los. Seraphium está livre no universo, mas o problema maior não é Seraphium, foi quem o libertou.

(Nº 10) – Quem?

(Master) – O filho de Slave.

Todos se sobressaltaram e ficaram em estado de choque. Slave tinha um filho?

(Nº 10) – Mas Slave foi destruído, e pelo o que sei ele ficou preso até antes de entrar em combate conosco…

(Master) – Ele ficou livre durante um ano e meio antes de atacar a Terra. Nesse meio tempo ele encontrou uma mulher chamada Levinda que estava aprisionada em um planeta e a engravidou para poder gerar um descendente que pudesse acompanhá-lo em sua busca por aquele que poderia destruir o universo e, no caso dele falhar, que o vingasse e continua-se sua busca.

(Nº 10) – E onde ele está agora?

(Master) – Procurando pelo segundo imortal.

(Gorin) – Por que?

(Master) – A lenda diz que antes de serem aprisionados os cinco juraram vingança contra todos os seres do universo e disseram que quem os libertasse receberia a vida eterna. O filho de Slave quer ser imortal.

(Yuki) – Não podemos deixar…

(Master) – Seraphium está vindo para a Terra. Vocês devem aprisionar ele, ou usar o único meio que eu conheço para matá-los…

(Nº 10) – Qual?

(Master) – Vocês devem usar Sheng Long do planeta Mil para forçar o manto da imortalidade dele por um segundo que seja para fora e então eliminá-lo ou mandar ele diretamente para o outro mundo. Vocês devem entender que para isso ocorrer, eles precisam estar real e verdadeiramente inconscientes, pois se eles estiverem conscientes, Sheng Long poderá ser eliminado por eles no processo. Nenhum dos outros dragões tem poder para fazer qualquer que seja dos desejos. O mais indicado é o primeiro, pois o segundo tem muitas brechas para erro, mas se eles chegarem ao outro mundo, eles vão desaparecer da existência.

(Niko) – Mas como deixamos uma criatura que se regenera mais rápido do que o ki queima em um estado de inconsciência?

(Master) – Ki não é muito útil contra eles, mas ataques corpo-a-corpo têm mais eficácia, se puderem arrebentar o cérebro deles completamente, o momento de hesitação em que o cérebro é reconstruído é o suficiente para tornar eles mortais e eliminarem eles. Vocês têm 3 chances por vez que chamarem Sheng Long. O intervalo entre uma chamada e outra é grande e pode ser catastrófico. Vocês devem deter o filho de Slave antes que ele liberte mais imortais, se mais que três forem liberados não existe escapatória ou chance.

(Yuki) – Master, você fala dos imortais como se fossem coisas ruins…

(Master) – Eles são. Qualquer coisa que não pode morrer é um risco iminente para o universo. Algo que pode reter ki por toda a eternidade uma hora ou outra vai perder o controle e, se houver energia o bastante, pode causar uma explosão de energia que além de destruir toda a matéria conhecida pode ativar uma reação em cadeia que destrua a dimensão do universo e leve com ela todas as grandes dimensões e as dimensões auxiliares. Meu tempo acabou. Impeçam o filho de S…

Master desapareceu e os guerreiros Z ficaram ali, parados, completamente tontos e sem idéia do que fazer.

Todos os presentes sentiram uma imensa falta de Goku, Vegeta e Gohan.

 

Serão os guerreiros Z capazes de deter o mal que se aproxima da Terra sem a ajuda de Goku, Vegeta ou Gohan? Eles conseguirão deter o Imortal Seraphium? E o mais importante, eles serão capazes de deter o filho de Slave antes que ele liberte mais imortais e se torne um deles?

Não percam o próximo episodio de DragonBall BTU v2: “O Novo Treinamento”.

Posted in 6 - Saga dos Imortais | 4 Comments »