Dragon ball B.T.U

O Universo não é o limite

Episódio 108: O Novo Inimigo Chegou

Posted by gabrielr15 em novembro 16, 2011

Seraphium voava com toda a sua velocidade pela imensidão negra do universo, a cada planeta habitado pelo qual ele passava ele lançava um pequeno golpe de ki que fazia o planeta entrar em reação em cadeira para ser destruído, assim as criaturas poderiam sentir o medo da morte antes de morrerem.

Seraphium tinha ficado aprisionado por mais tempo do que ele mesmo seria capaz de calcular, logo ele um dos poucos seres que estavam de pé quando o universo era tão pequeno…

Quando ele nasceu existiam apenas cerca de 600 bilhões de planetas e 5 vezes essa quantidade em estrelas. Uma fração muito pequena do que se tinha hoje em dia.

E ele percebeu que a maior parte daqueles 600 bilhões de planetas já não existia mais.

A dúvida que o cortará durante cerca de seus 80 bilhões de anos terrestres (ou cerca de 79 anos universais) sobre o que havia após a morte o cortou novamente, onde será que estariam as criaturas que existiam quando ele nasceu?

Ele nunca saberia e essa era a sua ruína. Uma boa parte das criaturas que ele tinha encontrado acreditava em um paraíso onde os bons poderiam viver em paz. Ele nunca conheceria esse paraíso sendo bom ou mal.

Ele se tornara mal por odiar todos aqueles que tinham a chance de ter algo melhor que ele e os matava e então percebia que estava dando a eles o lugar melhor, por isso ele gostava de dar tempo para as pessoas se apavorarem antes de morrer. Era mais divertido ver os planetas explodirem em reações em cadeia demoradas que podiam durar até 48 horas terrestres. Tanto tempo pros seres entrarem em pânico…

Ele tocou o lugar onde deveria estar o seu coração que a muito tempo parará de bater. Ele era um tolo que queria viver para sempre, que tinha medo da morte e descobriu como fazer isso. Seu coração parou de bater no instante que ele ganhou a imortalidade e ele se tornou frio e gelado… Um corpo incapaz de desaparecer, era isso o que ele era. Um corpo morto que ainda transitava por ai.

Em sua frustração e raiva ele explodiu um sistema estelar inteiro explodindo cerca de 34 planetas habitados com uma onda de ki.

Ele e os outros quatro tinham vivido por 10 anos universais como verdadeiros lideres do universo conhecido. Ele era o mais fraco dos 5, mas isso não importava muito quando não se podia morrer. Ele viu o “lacre do ki” ser levantado e viu seus companheiros terem seus poderes limitados. Todos eles finalmente tinham o mesmo poder e estavam finalmente vulneráveis pois estavam no limite máximo de ki que poderia ser alcançado.

Então aqueles 50 guerreiros mais fortes do universo, além deles, lutaram com eles e morreram um a um, mas conseguiram os enfraquecer para que os últimos 5 morressem os aprisionando em prisões feitas de sua própria energia, ou seja só alguém que tivesse mais de 1 trilhão de poder poderia os libertar.

Eles juraram vingança contra todos os seres daquele universo e prometeram vida eterna aqueles que os libertassem. Os Supremos-Kaioshins da época carregaram suas prisões para pontos afastados do universo conhecido morrendo em suas missões pela distância que tiveram de percorrer. Um planeta foi construído ao retorno de cada um deles.

Bilhões de criaturas tentaram arrebentar o lacre querendo a imortalidade que tínhamos prometido, mas nenhuma tido sido capaz disso, e ele sabia porque o lacre precisava de no mínimo 1.000.000.000.001 para ser quebrado e o máximo que alguém podia ter era 1 trilhão.

Ele já tinha se resignado com o fato de que estaria para sempre preso pelo menos até o fim do universo, se é que ele teria um fim, e mesmo assim ele não sabia dizer se não estaria vivo depois que nada mais existisse.

Então ele aparecera. Um garoto com 80 anos terrestres de idade (mas aparência de 17 anos) com longos cabelos vermelhos que se moviam como cobras apareceu e disse que lhe daria a liberdade em troca da imortalidade. Seraphium lhe dissera que precisava libertar todos os 5 pra receber o dom da imortalidade e o garoto concordou e rompeu o lacre que não deveria nunca ser rompido com uma facilidade que chegava a assustar quando seus cabelos ficaram dourados. Quando ele estava com a guarda baixa, Seraphium deu o bote e apagou ele com um golpe de ki, mas cerca de meia-hora depois o garoto reaparecera e disse que aquilo tinha sido desnecessário e inútil.

Ele contou para Seraphium que sempre podia retornar dentre os mortos, mas não queria ter nenhuma vulnerabilidade, por isso buscava a imortalidade. Seraphium contou onde os outros estavam e o garoto lhe disse para ir numa determinada direção que encontraria guerreiros que lhe dariam uma luta verdadeiramente válida.

Seraphium voava naquela direção sem contestar, ele estava com fome, muita fome, ele precisava matar alguém com muito poder para alimentar sua fome. Esse era outro problema de sua imortalidade, ele precisava matar outras criaturas, quando ele matava ele preenchia a “fome” que o dominava, e quanto mais forte aqueles que ele matava, mas a fome era domada. Todos os planetas que ele estava destruindo não estavam conseguindo preencher o vazio que ele estava sentindo.

Uma luta válida significa muito poder e uma promessa de aliviar aquele vazio.

Uma parte pequena de sua mente lhe avisava que o garoto era mais forte que ele e mesmo assim não estava indo para esse planeta… Algo lhe avisava que essas criaturas podiam realmente lhe causar dano… Mas essa parte pequena não fazia nem cócegas no resto que sabia que por mais forte que fosse o inimigo ele nunca poderia vencê-lo.

Então ele sentiu. O foco de poder estava a frente dele e ele se focou nele, um grupo de poderes simplesmente apareceram ali como se não existissem antes ou tivessem estado em outra dimensão.

Seu coração morto estava louco para ser preenchido pela morte deles…

Seraphium passou voando por um planeta que ele percebeu que nem ele seria capaz de destruir. Aquilo o assustou, o quanto mudara no universo no tempo que ele estivera fora?

Então ele pousou no planetóide azul e verde onde os focos de poder estavam.

(Nº 10) – Você deve ser Seraphium, não é?

(Seraphium) – Então você sabe quem sou… Estou impressionado com o poder que você e seus amigos estão emanando.

Nº10 e Nº 5 ofegaram quando leram o buraco negro que parecia existir dentro do coração de Seraphium.

(Seraphium) – Finalmente serei capaz de preencher esses anos todos de fome…

(Nº 10) – Como uma coisa como você pode sequer existir?

(Seraphium) – Eu me perguntei isso todos os dias de minha vida imortal.

(Nº 5) – Você não destruirá nosso planeta!

(Seraphium) – Eu vou sim… Por mais insignificante que ele seja, não costumo deixar nenhum planeta de pé depois que eu parto dele…

(Nº 5) – Eu não consigo entender você… Destruir tudo e a todos, e o que você fará com o resto da eternidade quando não houver mais nada a destruir? Vivendo para sempre uma hora você vai acabar acabando com tudo!

(Seraphium) – Vou esperar que o universo seja o suficiente para encher esse vazio, mas se ele não for, espero que quando não houver mais tentação e possibilidade de encher esse vazio que ele finalmente possa me destruir. Se bem que todo o tempo que passei aprisionado ele não foi capaz de me destruir, apenas me deixou enlouquecido de fome de mortes… Se eu tivesse uma segunda chance não teria escolhido o que escolhi, mas agora não posso fugir daquilo que sou. Eu não tenho escolha, eu preciso matar… Esse foi o preço pela imortalidade, viver para sempre matando outros.

(Yuki) – Então não temos escolha a não ser pará-lo…

(Seraphium) – Não me deixarei ser aprisionado novamente…

(Gorin) – Quem disse que vamos te aprisionar? Isso nunca funciona, vamos destruir você de uma vez por todas!

(Seraphium) – Eu sou imortal! Nada pode me destruir!

E a gargalhada fria e cruel de Seraphium preencheu toda a planície onde os guerreiros Z tinham decidido esperá-lo.

Essa seria a maior batalha de todos os tempos.

Eles vão conseguir derrotar Seraphium? Ou morrerão tentando? E o filho de Slave, ele conseguirá libertar os outros imortais e se tornar um deles? E independentemente de conseguir ou não a imortalidade, os guerreiros Z serão capazes de derrotá-lo?

Não percam o próximo episodio de DragonBall BTU v2: “A Terra é Destruída”.

2 Respostas to “Episódio 108: O Novo Inimigo Chegou”

  1. Bem legal.
    Depois deixa a foto desses carinhas lá em cima tomara que sejam sinistros.

  2. Wenerson said

    cade os novos episódios?
    todos estão esperando.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: